fbpx
Jiu-Jitsu

Faixa preta, Gedalio Lima vira referência e sonha com títulos

Radicado em Piracicaba, atleta quer se tornar lutador cada vez mais completo em diferentes artes

Gedalio Lima, atleta de jiu-jitsu
Gedalio Lima, atleta de jiu-jitsu, kickboxing e MMA: evolução no esporte (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Gedalio Lima iniciou a temporada 2022 com três pódios. Medalha de bronze no Campeonato Paulista, prata o Festival de Verão de Jiu-Jitsu e ouro no Open Fight, o atleta radicado em Piracicaba há mais de dez anos tem como objetivo se tornar um lutador cada vez mais completo. Representante da Equipe Felipe Vidal, Gedalio tem pela frente dois compromissos em São Paulo no último fim de semana de abril: o Sul-Americano CBJJE (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo) e o Arnold South America Festival, quando brigará pelo título do torneio no kickboxing.

Natural de São José de Piranhas (PB), Gedalio é faixa preta na arte suave, mas já treina kickboxing com o atleta Marcos Alves (Alves Fight Team) e tenta ingressar no mundo das artes marciais mistas com o suporte do preparador Gustavo Zandoval. “Eles me auxiliam tanto parte física quanto no aspecto mental. Sei que estou ao lado de três caras que me dão o melhor suporte possível. São profissionais fora do comum e eu só tenho a agradecer por estar treinando com os melhores. Em relação às competições, vou chegar forte, preparado e com o objetivo de vencer”, disse.

Atualmente na categoria -77 kg (peso leve), Gedalio é ambicioso quando perguntado sobre as projeções que faz para o futuro. “Sempre procuro chegar no lugar mais alto, estar sempre entre os melhores sempre. O meu sonho no jiu-jitsu é ser campeão mundial na faixa preta, sei que é algo todo mundo almeja. Isso não é diferente no tanto no MMA quanto no kickboxing”, afirmou o lutador. “Recebi a faixa preta ano passado do mestre Felipe Vidal e foi um momento muito especial e emocionante. Desde a faixa branca, qualquer competidor ou praticante de arte marcial quer chegar na preta. É agora estou aprendendo jiu-jitsu de verdade (risos)”, brincou.

RESPONSABILIDADE

Além de lutar, Gedalio é responsável pela Chafogo Fight Team e pelo projeto social do mesmo nome, que acontece em uma academia localizada no Jardim Bartira, em Tupi. O nome do projeto é uma homenagem ao apelido usado pelo pai do atleta, José de Freitas Lima. No local, Gedalio oferece aulas gratuitas para crianças, aos sábados, das 10h às 11h. “Meus meninos me dão um orgulho imenso lá no projeto. Sei que agora, com a faixa preta, vem junto responsabilidade. Você passa a ser uma referência. Além disso, qualquer lutador menos graduado quer finalizar um faixa preta, então é preciso treinar o dobro”, finalizou.

Voltar