fbpx
Kickboxing

Equipe piracicabana disputa Brasileiro em Maringá

Competição tem início na próxima quinta-feira (5); grupo vive renovação

Wilson Teodoro, técnico da equipe Company Top Fight
Wilson Teodoro espera uma boa participação da equipe no Campeonato Brasileiro (Foto: Líder Esportes)

A Vila Olímpica Valdir Pinheiro, em Maringá (PR), recebe a partir da próxima quinta-feira (5) o Campeonato Brasileiro de Kickboxing, que em 2018 chega à 28ª edição na categoria adulto e ao 22º torneio sub-17. A competição é organizada pela CBKB (Confederação Brasileira de Kickboxing) e termina no domingo (8). Em fase de preparação, a equipe piracicabana Company Top Fight, sob o comando do técnico Wilson Teodoro, deve participar do certame com cerca de 20 atletas.

“A equipe foi renovada neste ano. Alguns atletas são estreantes e outros estão retornando ao Brasileiro. É um evento que também serve como preparação para o circuito profissional. Para nós, será uma bateria para avaliar como o pessoal está se movimentando, ter um parâmetro do trabalho que vem sendo feito. Além de ingressar no WGP, a nossa equipe tem olhado para novas competições profissionais”, afirmou o treinador. Apesar da pouca experiência do grupo, a meta é fazer um bom papel no Paraná.

“A nossa expectativa é muito boa. Vamos com cerca de 20 atletas para buscar o maior número de medalhas possível. O grupo é relativamente jovem. A nossa cobrança é por uma boa participação, pois sabemos que o nível será alto. O Brasileiro serve como seletiva para vários eventos importantes. É ano de Pan-Americano. O kickboxing de Piracicaba tem boas chances de levar representantes para eventos como os Jogos Mundiais ou Copa do Mundo. O nosso trabalho é a longo prazo”, disse Teodoro.

PREPARAÇÃO

Em relação à estratégia a ser utilizada no Nacional, o técnico deixou claro que quer seus atletas ‘usando a cabeça’ em Maringá. “A preparação é mais no lado técnico, com a pontuação e o desenvolvimento de jogo. No primeiro e segundo rounds, estamos focando na pontuando; terceiro e quarto rounds, aumentamos o volume; quinto e sexto rounds, pontuar e rodar. É uma competição muito extensa, pode envolver várias. O atleta tem que saber se poupar, administrar o fôlego e também a pontuação para chegar inteiro nas fases finais”, finalizou.

Voltar