fbpx
Lutas

Encontro de Capoeira integra alunos em Piracicaba

Atividade foi realizada no último fim de semana, no Centro Esportivo MR

1º Encontro Projeto Social e Educativo Araxá Capoeira, Cultura & Esporte
A atividade aconteceu no último domingo, no Centro Esportivo MR, em Piracicaba (Foto: Líder Esportes)

Foi realizado no último domingo (16) o primeiro Encontro Projeto Social e Educativo Araxá Capoeira, Cultura & Esporte, atividade que teve como sede o Centro Esportivo MR, em Piracicaba. Na ocasião, os alunos dos quatro núcleos instalados na cidade pelo projeto participaram de uma vivência da modalidade com o mestre Rodrigo Carvalho, o Fofão, do Legado Negro (São Pedro). O evento também serviu para confraternização entre os mais de 50 alunos do programa, com um coffee break encerrando o encontro.

“Hoje, nós atendemos essa demanda nos núcleos dos bairros Javari 2, Parque 1º de Maio e Jupiá, além do polo instalado no Centro Esportivo MR. A vivência teve uma aula prática, com fundamentos técnicos da capoeira, além da ritmicidade e a questão envolvendo a música”, afirmou Marcos Ribeiro, idealizador do projeto. Além da capoeira, o Centro Esportivo MR é responsável pelo desenvolvimento de outras duas modalidades: boxe e kickboxing. As aulas oferecidas à população são gratuitas. Os três projetos foram aprovados via chamamento público e são financiados pela Prefeitura de Piracicaba, atendendo as determinações do Marco Regulatório (Lei Federal 13.019/2014).

A vivência teve duração de duas horas e meia, reunindo aproximadamente 40 alunos que treinam com os mestres Marcos Farias e Nélio Maia, e os contramestres Adriano Rigo e Bel Farias. “O objetivo principal foi trabalhar com os alunos, para que eles tivessem uma visão vinda de outro mestre, com uma filosofia diferente. Nós acreditamos que a experiência passada pelo mestre Fofão é algo que poderia despertar um interesse ainda maior nos alunos”, disse Adriano Rigo.

“O encontro foi bastante produtivo, com uma aula e roda de capoeira para integrar todos os participantes, bate-papo e confraternização. O projeto hoje reúne pessoas de diferentes faixas etárias, dos 4 aos 60 anos de idade. Estamos atendendo uma demanda importante, incluindo alunos de diferentes classes sociais. É algo que engloba muitas pessoas, em núcleos que têm públicos diferentes, conforme o bairro em que estão localizados. O trabalho tem sido gratificante”, completou Rigo.

Voltar