fbpx
Opinião

Empolgante

*Capa: Divulgação

Com quatro rodadas para o término do primeiro turno, o Campeonato Brasileiro pegou fogo de vez. O São Paulo, do supercraque Daniel Alves, em jogo atrasado, venceu o Athletico-PR por 1×0, nesta quarta-feira (20), na Arena da Baixada, em Curitiba (PR), e chegou de vez ao grupo dos times que brigam diretamente pela taça. Com 30 pontos, o Tricolor Paulista empatou com Flamengo e Palmeiras e está apenas dois pontos atrás do líder Santos.

Após a vinda do capitão do Brasil na Copa América, o São Paulo conquistou seis pontos em duas rodadas e coloca um molho todo especial à competição depois de 15 rodadas disputadas. Digo isso porque nos últimos anos não tivemos uma competição tão concorrida e disputada como em 2019. São pelo menos sete postulantes ao título neste momento. Além dos quatro citados acima, ainda brigam Atlético-MG (27 pontos), Corinthians (27 pontos) e Internacional (24 pontos). Ou seja, entre o líder e o sétimo colocado, são apenas oito pontos de diferença.

Parece muito, mas se formos pensar que há ainda 69 pontos em disputa em 23 rodadas, tudo pode acontecer. O fiel da balança poderá ser as outras competições. Santos e São Paulo estão apenas no Brasileirão. Palmeiras, Flamengo e Internacional estão na Libertadores; Corinthians e Atlético-MG disputam também a Copa Sul-Americana; e o Colorado ainda está na Copa do Brasil. Se essas equipes forem avançando nestes torneios paralelos, vai ser complicado se manterem entre os primeiros da competição nacional, pois terão de poupar seus principais jogadores.

De qualquer forma, essa primeira metade faz deste Brasileirão o mais empolgante dos últimos anos. Quem vai ficar com a taça? Difícil fazer qualquer prognóstico. De forma simplória, diria que a dupla San-São teria mais chances porque ambos têm dedicação exclusiva ao Brasileirão. Mas não se pode cravar, só por esse motivo, que o título desta temporada ficará na Vila Belmiro ou no Morumbi. Às vezes, quem está embalado por várias competições pode se superar também. Em 1992, o São Paulo tinha o Paulistão e o Mundial para disputar. Todos diziam que era a chance do Palmeiras sair da fila. Mas, o Tricolor deixou o Paulista pela metade, foi ao Mundial, ganhou, voltou ao Estadual e ganhou também. Por isso, é tudo relativo.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar