fbpx

Líder Esportes

Kickboxing

Em fase de transição, Mangue Seco conquista nova graduação

O experiente atleta piracicabano vive os últimos meses da carreira, agora como faixa preta 2º Dan

Mangue Seco, lutador de kickboxing da equipe Company Top Fight
Mangue Seco: 63 medalhas, 3 cinturões e agora a graduação para faixa preta 2º Dan (Foto: Líder Esportes)

Dono de um currículo com 63 medalhas e três cinturões no kickboxing, o piracicabano Vitor Wagner ‘Mangue Seco’ vive um momento especial na carreira. Aos 55 anos, o lutador foi graduado como faixa preta 2º Dan. A graduação aconteceu no dia 5 de dezembro, em São Paulo, e contou com a presença de Paulo Zorello, presidente da CBKB (Confederação Brasileira de Kickboxing). No último sábado (12), Mangue Seco foi homenageado em Piracicaba pelo mestre Wilson Teodoro, diretor da Company Top Fight.

“Foi um momento especial para mim, a graduação é uma conquista que eu buscava há muito tempo. Eu terei que parar de lutar em junho, completo 56 anos e não poderei mais disputar as competições oficiais como atleta federado. Depois, pretendo iniciar uma nova fase, começar a dar aulas e colocar os alunos para lutar. É uma fase de transição”, afirmou o piracicabano, que conta com o patrocínio do empresário Antonio Sergio Guarnieri e o suporte de alunos e amigos para manter a carreira.

“É um momento novo na minha vida. Não consigo ficar longe do esporte e o meu planejamento agora é ensinar e acompanhar os alunos em competições. A graduação me dá essa possibilidade. Também recebi o convite para ser árbitro, é mais uma opção que eu estudo para o futuro. As portas estão se abrindo, felizmente”, revelou Mangue Seco, que deve iniciar as aulas no Centro de Alto Rendimento Dojan Nippon, às segundas, quartas e sextas-feiras, e no Brock Team Fighters, às terças e quintas-feiras, no período da manhã.

ATÍPICO

Em razão da pandemia causada pela Covid-19, Mangue Seco viveu uma temporada ‘atípica’. A última competição disputada pelo atleta foi a Copa América, realizada em março, em Foz do Iguaçu (PR). Na ocasião, o piracicabano trouxe para casa três medalhas: ouro no point fight e duas pratas no kick light e light contact. As três modalidades ocorrem no tatame. “Estou preparado para lutar, a ideia é participar de mais um ou dois eventos, mas tudo depende do avanço da pandemia”, falou.

Representante da categoria máster 74 kg, Mangue Seco admitiu o desânimo no início do período de isolamento social, mas destacou o apoio de Eva Campos, diretora de esportes da AFPMP (Associação dos Funcionários Públicos Municipais de Piracicaba), e do preparador físico Erlo Gnutzmann como fundamentais para não baixar a guarda. “A Eva foi uma atleta de alto nível e incentivou bastante, assim como a Mariana, que é a filha dela. O Erlo também ajudou muito. Estou sempre aprendendo com eles”, finalizou Mangue Seco.

Voltar