fbpx
Opinião

É hora de se cuidar

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta quarta-feira (11) que a doença provocada pelo novo coronavírus Covid-19 é uma pandemia – situação que acontece quando uma epidemia se espalha por diversas regiões do planeta. A decisão foi anunciada pelo chefe da agência, Tedros Ghebreyesus, em Genebra. A doença, que surgiu no final de dezembro, na China, está presente agora em 114 países. Segundo o chefe da OMS, nas últimas duas semanas, o número de novos casos diários fora da China aumentou 13 vezes. E a quantidade de países afetados triplicou.

Até ontem (11), foram registrados mais de 118 mil casos e 4.291 mortes no mundo. Ghebreyesus afirmou que “milhares de pessoas estão lutando pela vida em hospitais” e que “nos próximos dias e semanas, espera-se que o número de casos, de mortes e de países afetados suba ainda mais”. Diante de quadro crítico, é natural que o esporte seja afetado. Horas depois do anúncio da OMS, a Fifa, por meio da Conmebol, cancelou as duas primeiras rodadas das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. O Brasil estrearia na Arena de Pernambuco, dia 27 de março, contra a Bolívia.

No início da semana, a Fifa já havia anunciado o adiamento das rodadas de março a junho das eliminatórias da Ásia, já que o surto do coronavírus começou na China e se espalhou fortemente para outros países do continente, casos de Irã e Coreia do Sul. Ainda foi cancelada uma partida entre Coreia do Sul e China, pelo qualificatório do futebol feminino para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 – evento que também ainda corre risco de ser adiado. Pela Libertadores, vários jogos estão sendo realizados com portões fechados para evitar aglomerações.

Já a Itália, país da Europa mais afetado pelo vírus, foi mais radical e parou todas as competições esportivas até o dia 3 de abril. Até lá, serão analisadas a situação da doença no país para avaliar uma volta ou não à normalidade. A NBA, maior liga de basquete do mundo, suspendeu sua temporada regular. Com tudo isso, o mundo do esporte dá o recado: é hora de se cuidar. O mais importante, neste momento, é colaborar com as autoridades sanitárias para não piorar ainda mais essa situação de alerta. A prioridade é trabalhar contra esse vírus e torcer para que os cientistas descubram o mais rápido possível o antídoto para o novo coronavírus, o que, esperamos, que aconteça até o mês de abril. Neste jogo, estamos todos do mesmo lado.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar