fbpx

Líder Esportes

Karatê

Dupla piracicabana representa o Brasil no Pan

Diego Spigolon e Hernani Veríssimo participam da competição em Lima

Hernani Veríssimo e Diego Spigolon, karatê Sport Way Piracicaba
Hernani e Diego representam o Brasil nas competições de karatê nos Pan-Americanos (Foto: Geraldo De Paula)

As competições de karatê nos Jogos Pan-Americanos começam nesta sexta-feira (9), em Lima, no Peru, e serão realizadas no Pabellón Polideportivo Villa El Salvador. A modalidade reúne 14 categorias em disputa, quatro a mais do que em Toronto, em 2015, quando não foram realizados eventos de kata. No total, serão 132 atletas participantes, entre eles o piracicabano Hernani Veríssimo, que entra no tatame no domingo (11) para representar o Brasil na categoria -75 kg. O também piracicabano Diego Spigolon, que comanda a Sport Way/Selam, será o técnico da equipe brasileira feminina no Peru.

“O Hernani voltou a competir após sofrer uma lesão no joelho, o que não é fácil. Mas, como é um atleta diferenciado, sempre podemos esperar coisas boas. Acredito que o Hernani tem condição real de conquistar uma medalha em Lima”, afirmou Spigolon, que antes de embarcar para Lima, participou do camp de preparação da seleção brasileira no Rio de Janeiro, ao lado de Hernani e Natalia Brozulatto. A atleta de Piracicaba, que foi ouro nos Jogos de 2015, no Canadá, se recupera de lesão.

“Disputei o Campeonato Paulista, Liga Mundial e Jogos Regionais. São competições que me ajudaram a ganhar ritmo para chegar ao Peru com um bom tempo de luta e boa movimentação”, contou Hernani. “As semanas de treino com a seleção brasileira também ajudaram muito, são todos atletas de ponta. A expectativa é muito boa, os Jogos Pan-Americanos são prioritários para a minha temporada”, completou o lutador. O otimismo de Hernani é compartilhado por Spigolon quando é perguntado sobre o que espera do desempenho do Brasil no evento.

“O Brasil vai aos Jogos Pan-Americanos com uma equipe muito forte, com atletas experientes como o Douglas (Brose) e a Valéria (Kumizaki), que foram campeões em 2015, quando tivemos um desempenho espetacular no Canadá. O nosso grupo também tem atletas mais novos, mas que estão colecionando resultados muito importantes. O nível é alto, não será fácil, mas acredito muito em nosso trabalho”, finalizou o treinador piracicabano.

Voltar