fbpx

Líder Esportes

Futebol

Duelo tem briga e ameaças antes e pós-jogo

Partida entre XV e Guarani foi marcada pela tensão dentro e fora do campo

A torcida alvinegra fez grande festa para receber o elenco no Barão da Serra Negra (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes)

A primeira partida entre XV de Piracicaba e Guarani, válida pelas semifinais da Série A2 do Campeonato Paulista, teve confusão dentro e fora do Barão da Serra Negra neste sábado (31). Antes do jogo, que acabou empatado sem gols, um grupo de 50 torcedores de Campinas, sem escolta, tentou o acesso ao estádio pela rua Treze de Maio, lado oposto ao destinado e previamente informado aos bugrinos (rua Moraes Barros). No local, os torcedores do Guarani encontraram a torcida do XV, que havia se concentrado para recepcionar o elenco na chegada ao estádio.

“Não houve emboscada […] como o trânsito estava ruim, descemos longe do estádio e fomos andando pela avenida (Independência). Chegando perto do estádio […] demos de frente com o povão do XV, começaram os xingamentos de ambas as partes e a confusão”, relatou o torcedor bugrino Paulo Quinalhia nas redes sociais. Segundo ele, alguns torcedores do Guarani levantaram os braços e foram auxiliados pela organizada Esquadrão, do XV de Piracicaba, a chegar ao local destinado aos bugrinos. “Passei sem problemas pelo meio da torcida deles […] alguns bêbados juntos podem fazer um grande estrago”, completou.

O tumulto começou 40 minutos antes da partida. A briga aconteceu em frente a uma lanchonete e durou cerca de 20 minutos antes de ser controlada pela Polícia Militar. A reportagem apurou que houve ao menos dez feridos leves. Há relatos que indicam o ferimento leve de um policial. As informações não foram confirmadas pela PM. Ninguém foi detido. De acordo com um garçom que pediu para não ser identificado, torcedores das duas equipes arremessaram cadeiras em direção aos rivais, e danificaram algumas mesas do estabelecimento. “Eles (torcedores) estavam claramente alcoolizados e começaram a xingar uns aos outros. Aí a porrada ‘comeu solta’. Foi uma correria”, contou.

PÓS-JOGO

Após a partida, atendendo a ordem da polícia, os 2.500 bugrinos que compareceram ao Barão da Serra Negra tiveram de permanecer no estádio enquanto aguardavam a saída do público alvinegro. Os torcedores do Guarani alegam que foram atingidos por pedras e garrafas arremessadas de fora para dentro, o que gerou revolta e propiciou um novo tumulto, desta vez no setor visitante. Parte da imprensa de Campinas noticiou que uma torcedora foi atingida por uma pedra e teve de receber atendimento médico no gramado, mas a informação é falsa. Conforme os médicos, ela teve uma queda de pressão. Na saída do estádio, não houve conflito.

Guarani e XV voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira (4), às 20h30, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas. O jogo deverá ser novamente marcado pela tensão, dentro e fora do campo. Nas redes sociais, alguns bugrinos ameaçam ‘dar o troco’ pelo tratamento em Piracicaba. “Vocês estão jurados, vão rezar para voltar para Piracicaba”, “Vamos amassar aqui os poucos que vierem” e “Vão tomar arrastão, caipiras filhos da p…”, escreveram alguns torcedores do Guarani. O vencedor da partida avança para a final e garante vaga na Série A1, em 2019. O empate, independente do placar, leva a decisão para os pênaltis.

Voltar