fbpx
Opinião

Domínio brasileiro

Finalizada a fase de grupos da Copa Libertadores, os times brasileiros são os protagonistas da competição, com seis classificados: Palmeiras, Santos, Flamengo, Athletico-PR, Grêmio e Inter, que ainda deve confirmar a vaga. Somente o São Paulo decepcionou – foi eliminado e agora vai disputar a Copa Sul-Americana. Mas, no final, foi um ótimo retrospecto.

Além dos seis times brasileiros entre os 16 melhores nas oitavas de final, ainda temos três argentinos (Boca Juniors, River Plate e Racing); três equatorianos (Independiente Del Vale, Delfín e LDU); um paraguaio (Guarani); um boliviano (Jorge Wilstermann); e um uruguaio (Nacional). A última vaga será decidida nesta quinta-feira (22) entre Caracas-VEN e Libertad-PAR, no Grupo H.

O domínio canarinho nesta Libertadores pode ser visto ainda na pontuação geral dos clubes. As três melhores campanhas da fase de grupos pertencem a clubes brasileiros: Palmeiras em primeiro, Santos em segundo e Flamengo em terceiro. O Alviverde, com melhor campanha, jogará a fase eliminatória sempre decidindo em casa. Só perderá esse privilégio se chegar à final, pois a decisão será em jogo único, no Maracanã.

Os confrontos serão conhecidos por meio sorteio nesta sexta-feira (23), no Paraguai, onde fica a sede da Conmebol, por volta das 11h. Os clubes serão divididos em dois potes: o primeiro será formado pelos primeiros colocados na fase de grupos (Flamengo, Palmeiras, Jorge Wilstermann, River Plate, Nacional, Santos, Boca Juniors e, possivelmente, Grêmio); o Pote 2 terá os segundos colocados (Independiente Del Valle, Guarani, Athletico-PR, LDU, Racing, Delfín e, possivelmente, Inter e Caracas). O sorteio será feito com os times do Pote 1 enfrentando os times do Pote 2.

Neste cenário, poderemos ter confrontos interessantes, como Grêmio e Inter ou Boca Juniors e Racing, além de outro duelo brasileiro com o Athletico-PR. Para os brasileiros do Pote 1, o ideal seria pegar clubes com menos tradição, como Guarani, Delfín ou Caracas. Vamos aguardar para ver. O que podemos dizer, com certeza, é que os brasileiros estão muito fortes na luta, mais uma vez, para conquistar a glória eterna.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar