fbpx
Opinião

Decisão aberta

*Capa: Michel Lambstein/Líder Esportes

Nos primeiros 24 minutos, o XV de Piracicaba sufocou o São Caetano no Barão da Serra Negra: o Alvinegro atacou de forma ordenada, explorando o buraco deixado no meio-campo adversário, criou oportunidades e só não saiu na frente no jogo de ida da final da Copa Paulista porque Luiz Daniel impediu os gols de Misael e Macena, apagado ontem – que falta fez o Kadu! O goleiro do Azulão foi, disparado, o melhor jogador em campo na vitória por 3×2. Vitória que começou a ser construída no vigésimo quinto minuto de jogo.

Foram três minutos de apagão. Aos 25min, Emerson Santos recebeu pelo alto entre Gilberto Alemão e Paulão, escorou de cabeça para Jean Dias e o atacante finalizou rasteiro para marcar. Aos 28min, uma série de bobagens da zaga quinzista resultou no segundo gol: primeiro, Paulão espanou quando tinha que estourar, e foi obrigado a fazer a falta; a cobrança veio sem força, tranquila para Luiz Fernando agarrar, mas o goleiro do XV, que parecia inseguro, espalmou; no escanteio, bola fechada, Junior Alves livre nas costas de Alemão e Luiz Fernando plantado de joelhos: 2×0.

Apesar do revés parcial, o time piracicabano foi para os vestiários aplaudido pelos mais de 13.500 torcedores. Estava claro que o problema não era falta de apetite. No segundo tempo, em vantagem, o São Caetano, que tem a melhor defesa da Copa Paulista, se postou atrás e aguardou a oportunidade de um contra-ataque que não saiu. O XV de Piracicaba esbarrou no bloqueio rival quando tentou criar coletivamente, mas reagiu na individualidade de Cassio Gabriel, que marcou dois golaços, acertando duas vezes o ângulo esquerdo de Luiz Daniel.

O cenário, que com o placar de 2×0 estava desenhado para derrota, com o empate por 2×2 dava a impressão que encaminhava para a vitória. De novo, não aconteceu. Não foi exatamente uma surpresa: escrevi neste link que o Alvinegro é inconstante. Foi assim ao longo da Copa Paulista. É capaz de combinar excelentes atuações e partidas ruins. A equipe de Tarcísio Pugliese, inclusive, alterna bons e maus momentos ao longo de uma mesma partida. Porém, cabe a ressalva de que o São Caetano não precisou de grande esforço para vencer no Barão da Serra Negra. Foi eficaz e contou com ótima noite de Luiz Daniel. Uma vitória do XV no Anacleto Campanella não seria nada anormal. A decisão segue aberta.

Leonardo Moniz é editor de conteúdo do LÍDER

Voltar