fbpx

Líder Esportes

Opinião

De novo o VAR

Início de Campeonato Brasileiro e o VAR volta a ser o protagonista do nosso futebol. Muitas reclamações nestas quatro primeiras rodadas, que colocam novamente em cheque a qualidade dessa ferramenta, que chegou para ser a responsável pelo fim das polêmicas no maior esporte do planeta. Infelizmente, não é eficiência que estamos vendo. A começar no clássico do último sábado (12), entre Palmeiras e Corinthians, no Allianz Parque. O dérbi terminou em igualdade no placar por 1×1, mas os donos da casa não engoliram o gol anulado de Willian pelo árbitro de vídeo, que deu impedimento de Roni no início da jogada. No campo, o assistente validou o desempate alviverde.

De fato, é um lance ajustadíssimo para a arbitragem. No ‘olhômetro’, pela TV, dá até para desconfiar que Roni estava na mesma linha da defesa corintiana, o que dá margem à reclamação palmeirense. Até com as linhas traçadas ainda há dúvida, pois elas estão praticamente uma em cima da outra. Os responsáveis pelo vídeo optaram pelo impedimento após seis minutos de análise. Nesta quarta-feira (16), mais polêmica no jogo entre São Paulo e Chapecoense. O volante Rodrigo Nestor, em um lance aparentemente típico de acidente de trabalho, os árbitros do ‘ar condicionado’ indicaram ao juiz de campo a expulsão do são-paulino. Na jogada, o volante dividiu com Leo Gomes e acertou o pé na cabeça do adversário. Lance interpretativo.

A expulsão mudou completamente os rumos do confronto do Morumbi. Até a exclusão de Nestor, o Tricolor vencia a Chapecoense por 1×0. Depois disso, a Chape empatou e dominou a partida, ao ponto de perder várias chances para virar o placar. No final, o São Paulo, mesmo atuando em casa, diante das circunstâncias, ‘ganhou’ um ponto. O fato é que o VAR está novamente no olho do furacão. Todos esperavam erro zero com essa nova tecnologia, o que não se vê nem aqui nem na China. Ou na Europa. Aliás, no Velho Continente – mesmo sendo mais eficiente em comparação ao que se vê aqui no Brasil – também é muito criticado, principalmente pelos torcedores.

Recentemente, um estudo na Inglaterra mostrou que mais de 40% dos torcedores não querem ir a jogos devido a preocupações com o VAR. A pesquisa, com 33.243 torcedores, mostrou que 94% dos entrevistados consideraram que o sistema tornou menos agradável assistir futebol, citando questões como o tempo necessário para confirmar as decisões. Como se vê, o VAR não convence muita gente. Particularmente, ainda sou favorável ao árbitro de vídeo. Mas com muitas ressalvas. Para mim, esse sistema só deveria existir para resolver o problema. Se não for assim, não tem por que continuar. Vamos agora ver cenas dos próximos capítulos. O VAR está na berlinda. Até quando, só o tempo dirá!

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar