fbpx
Futebol Americano

Cutters realizam seletiva visando renovação para 2020

35 candidatos estão escalados para participar da segunda fase dos testes para a equipe

Breno foi o mais jovem candidato a participar da primeira fase da seletiva dos Cutters (Foto: Líder Esportes)

A equipe masculina do Piracicaba Cane Cutters já pensa em 2020. No último domingo (27), o time piracicabano realizou a primeira etapa da seletiva para os interessados em integrar os elencos de full pad (tackle) e flag football 8×8, modalidades do futebol americano. A atividade, dividida em cinco estações contemplando exercícios de força e velocidade, aconteceu no campo da Área de Lazer do Parque da Rua do Porto. No total, foram 60 inscritos – 35 candidatos irão participar da segunda fase dos testes, que tem duração de quatro semanas.

“Particularmente, gosto de levar em consideração os aspectos físico e psicológico. A questão técnica, eles vão aprender com o tempo. Existem outros valores dentro do futebol americano que a gente avalia, que vão além do treino físico. Nessa primeira fase, é uma avaliação sobre como o garoto está, não é eliminatória. Na segunda etapa, essa garotada treinará conosco por um mês, em quatro fins de semana. Eles terão esse tempo para mostrar os valores como garra, espírito coletivo e competitividade”, afirmou o head coach Luiz Franco.

Luiz Franco, head coach do Piracicaba Cane Cutters

Luiz Franco, head coach do Piracicaba Cane Cutters: equipe renovada para 2020 (Foto: Líder Esportes)

A seletiva do último fim de semana reuniu candidatos de diferentes idades e biotipos, como é de praxe no futebol americano. O mais jovem a participar foi Breno Lopes, 14. “Os treinos foram legais, a maior dificuldade que eu tive foi na flexão (risos). Comecei a gostar do esporte assistindo vídeos na internet, já vi sobre o Cane Cutters no YouTube. Gosto de receber a bola e sair driblando os adversários”, contou. O autônomo André Degasperi, em contrapartida, foi o mais ‘experiente’ entre os inscritos. Aos 37 anos, ele encarou a atividade como um desafio.

“Sempre gostei de esportes, mas nunca joguei futebol americano. É um desafio que eu nunca tinha feito e resolvi topar. Esse lance de ser um esporte democrático é algo que percebi logo de cara: tem pessoas de diferentes idades e tipos físicos”, relatou. “O futebol americano é o mais democrático dos esportes coletivos. O garoto mais esguio tem a tendência de ser veloz, pode ser um excelente recebedor. Só que a gente precisa de caras grandes, que podem não ser tão rápidos, mas que têm força. É como um carro: a primeira marcha não é rápida, mas é muito forte”, completou Franco.

PLANEJAMENTO

Em 2020, o Piracicaba Cane Cutters está confirmado na disputa do Campeonato Paulista de Flag Football. A expectativa do head coach é por uma temporada de transição. “Vamos participar com o elenco renovado, sangue novo injetado para a equipe e entendo que isso é extremamente salutar. Os veteranos deixam saudades, claro, mas o time precisa se renovar. O futebol americano tem se desenvolvido muito e rápido, e nós temos que acompanhar isso se quisermos evoluir. Não dá para ser peladeiro mais”, finalizou o treinador.

Democrático, o futebol americano necessita de atletas mais rápidos nas condições de recebedores…

… e de jogadores mais fortes, sobretudo no sistema defensivo e na proteção ao ataque (Fotos: Líder Esportes)

Voltar