fbpx

Líder Esportes

+ Esportes

Cristóvão inaugura ‘point’ com torneio de beach tennis

Competição realizada no último fim de semana consolida clube como referência no esporte

*Fotos: CCRCC/Divulgação

Referência na modalidade, o Centro Cultural e Recreativo Cristóvão Colombo realizou no último fim de semana, entre os dias 18 e 20 de outubro, o 1º Open Beach Tennis CCRCC. O evento reuniu cerca de 60 atletas, que foram divididos em categorias de nível técnico e por faixa etária. A competição foi chancelada pela FPT (Federação Paulista de Tênis) e contou com o apoio de Biotipo, Colégio Objetivo, Ecológica, Espaço Natturiza, Exon Eventos, Leuven Cervejaria, Medicinallis, Novo Estilo, Quero Um e Tennis Way.

“Para nós, foi uma realização trazer o beach tennis para o clube. Eu trouxe a modalidade para Piracicaba pela primeira vez em 2013, com uma clínica. Hoje, estamos aumentando o número de participantes e viramos referência pelas pessoas que estão aqui dentro, pelo fato de participar de todos os torneios. O clima foi incrível, com as quatro quadras cheias, todo mundo queria treinar. Se você tem o evento, as pessoas querem praticar. Durante a competição, despertamos a curiosidade e isso funciona como vitrine”, destacou Elisabete Shiraga, diretora de esportes do Cristóvão Colombo.

O clube colombino, inclusive, está vinculado à FPT, entidade que gerencia o beach tennis no Estado de São Paulo. “Uma das exigências para ter a chancela da federação, é que o clube contasse com quatro quadras. Fizemos isso com o total apoio do Jorge (Nascimento, presidente do clube) desde o início. Em nossa região, é algo inovador e a modalidade vem crescendo bastante. O beach tennis é um esporte muito descontraído, jogamos com música, vibramos o tempo todo e temos muito fair play. Existe a competitividade, mas não rivalidade”, completou a diretora.

Responsável pela DF4 Esportes, organizadora do torneio, e coordenador beach tennis na FPT, Rodrigo Fidel elogiou a iniciativa do Cristóvão Colombo. “A proposta da federação é a criação de núcleos para que a modalidade caminhe com as próprias pernas. A Bete (Shiraga) é uma profunda fomentadora do esporte, está no DNA dela fazer o beach tennis acontecer e a união de esforços proporciona eventos como esse. Tivemos 60 atletas e uma arbitragem credenciada pela FPT, com um árbitro geral de nível internacional. A ideia foi trazer a melhor expertise que a gente poderia proporcionar”, afirmou.

EXPERIÊNCIA

Professor de beach tennis no clube, Gabriel Parra destacou o bom nível técnico apresentado na competição. “Foi uma experiência bem legal, e serviu também para a divulgação do nosso point, tanto para a cidade e quanto para a região, para que as pessoas viessem aqui conhecer e prestigiar. A estrutura foi ótima e o nível técnico foi elevado. O beach tennis é um esporte muito democrático e envolve capacidade técnica, coordenação, parte tática. Valeu a pena”, contou o professor, que no início do mês, foi convocado para representar o Estado de São Paulo na Copa das Federações, em Jurerê (SC).

“A convocação ocorreu devido ao resultado nas três seletivas feitas pela federação paulista (Campinas, Guarujá e Praia Grande). Disputei duas ao lado do Lucas Cherione e encerramos em primeiro lugar. A Copa das Federações foi bem legal, fez parte da Semana Guga Kuerten e teve quase 500 atletas representando 14 Estados. Nossa equipe foi formada por uma dupla masculina, uma dupla feminina e uma dupla mista, e ficou em quarto lugar na categoria C. Na classificação geral, São Paulo encerrou o torneio com o vice-campeonato, atrás apenas Rio Grande do Sul. O resultado foi bastante expressivo”, finalizou Parra.

Voltar