fbpx
Futebol

Cristóvão aposta em experiência na escolinha de futebol

O ex-jogador Glauber e o preparador Fábio Stabelin conduzem o trabalho com as crianças

Fábio Stabelin e Glauber são professores da escolinha de futebol do Clube Cristóvão Colombo (Foto: Líder Esportes)

Experiência com a bola e no trabalho com as crianças. É essa a receita que o Centro Cultural e Recreativo Cristóvão Colombo utiliza na escolinha de futebol, com aulas realizadas às segundas e quartas-feiras, sempre no período noturno. As turmas são divididas por faixa etária, com atividades destinadas aos sócios. No clube há pouco mais de um mês, o ex-jogador Glauber, que atuou como zagueiro e volante no XV de Piracicaba, é o responsável pelo trabalho com as crianças de 7 a 13 anos. Os treinos são divididos: fundamentos e coletivo.

“Na segunda-feira, fazemos o trabalho de fundamento e iniciação técnica de futebol. A intenção é realmente fazer com que a criança saiba chutar com ambos os pés, aprimorar cabeceio, domínio e passe. Isso estimulando o desenvolvimento de coordenação motora, que nessa idade é muito mais fácil de aprender. Não é um treino focado na formação de jogadores profissionais. Mas, com esse método de treinamento, a criança poderá sonhar um dia em ser um atleta”, contou Glauber.

O ex-jogador também destacou o quanto a experiência dele no campo pode auxiliar no trabalho com as crianças. “Ter sido um atleta profissional faz muita diferença. Em qualquer movimento que a criança tenha mais dificuldade, nós vamos ensinar a forma correta de agir: a batida na bola, posicionamento, marcação e qualquer tipo de informação que a criança tenha dúvida. Afinal, os 23 anos de carreira  que tive proporcionaram muita experiência para qualquer situação”, afirmou.

INICIAÇÃO

Nas turmas mais novas, com crianças de 5 e 6 anos, a responsabilidade é do educador físico Fábio Stabelin. Preparador nas categorias de base do XV durante 16 anos, ele atua no Cristóvão Colombo desde 2002. “Nessa idade, acontece o primeiro contato com a bola. Para as crianças, as referências são a bola e o gol, todo mundo quer ser atacante. A minha função é, através do futebol, ensinar agilidade, alongamento, coordenação, resistência e velocidade, tudo isso voltado para a disciplina do futebol, assim como as regras do esporte”, informou.

O preparador físico também apontou para a capacidade de concentração das crianças. “O nível de concentração nessa faixa etária é de, no máximo, 25 minutos. Durante esse intervalo, nós procuramos trabalhar os fundamentos básicos. Isso é importante para eles terem noções do que é ataque e defesa, por exemplo. Na idade acima, eles já começam a ter mais noção do espaço no campo. Não é fácil, mas é um trabalho gratificante com as crianças”, completou Stabelin.

O trabalho com as crianças no Clube Cristóvão Colombo aposta na experiência (Foto: Líder Esportes)

Voltar