fbpx

Líder Esportes

Muay Thai

Cristian Castro vence In Fight 16 e mostra evolução no ringue

Lutador supera adversário pela categoria 69 kg e conquista vitória por decisão unânime da arbitragem

Cristian Castro e Gustavo Piacentini - In Fight Muay Thai 16
Cristian e Piacentini celebram o triunfo conquistado no In Fight Muay Thai (Foto: Leonardo Moniz)

Natural de Manaus (AM) e radicado em Piracicaba há cinco anos, o lutador Cristian Castro conquistou no último sábado (24) o título do In Fight Muay Thai, que teve a 16ª edição disputada no Pairojnoi Stadium, em Piracicaba. Em duelo de três rounds contra Thierry Araújo, válido pela categoria 69 kg, Castro venceu por decisão unânime da arbitragem, garantindo o título do evento. Aluno do técnico Gustavo Piacentini, com quem treina há três temporadas, o lutador deixou o ringue satisfeito com a própria atuação.

“Lutei bem, contra um bom adversário, foram três rounds com muita trocação. Consegui impor o jogo que venho treinando, 70% do que faço nos treinamentos eu consegui encaixar. É uma grande satisfação ver o trabalho dentro do ringue, foi uma luta em que eu senti que evoluí e que ainda tenho muito para crescer, posso conquistar muitas coisas”, afirmou Cristian, que também pratica jiu-jitsu e MMA (Artes Marciais Mistas, na sigla em inglês), e sonha em participar de organizações de grande porte no mundo das lutas, como o Glory Kickboxing e o UFC.

Lutar, entretanto, não é o único compromisso diário do manauara, que durante a semana divide o tempo entre os treinamentos e o trabalho. O suporte dado por Piacentini, segundo Cristian, ajuda a superar as dificuldades. “Tenho um treinador que me apoia bastante e que consegue ver o tanto que eu me esforço. Na última luta, a segurança dele me deixou tranquilo. Para mim, foi muito satisfatório, não apenas pelo resultado, que foi uma vitória com decisão unânime, mas também pela atuação que tive dentro do ringue”, completou o lutador.

Perguntado sobre a performance do atleta no último fim de semana, o técnico elogiou o desempenho e destacou a obediência tática e a parte física de Cristian. “Gostei bastante da atuação, fez o que foi proposto e a gente sabe da dificuldade que um atleta sem tanta experiência tem para executar na luta o que faz nos treinos. A falta de ritmo e o nervosismo podem atrapalhar, mas ele manteve a calma, não se abafou quando foi atacado, respondeu bem ao corner e não se empolgou tanto nos ataques. O que chamou mais a atenção foi esse fator psicológico”, enalteceu Piacentini.

Voltar