fbpx
Ginástica Rítmica

Corpo Livre treina para apresentação de espetáculo

A Origem dos Guardiões envolve ginástica, dança e mais de 100 participantes

A fase de preparação para o espetáculo consiste em ajustes e repetições de movimentos (Foto: Líder Esportes)

Som ligado, ginastas posicionadas e movimentos decorados. Tudo isso repetido à exaustão. É assim que a academia Corpo Livre se prepara para apresentar o espetáculo A Origem dos Guardiões, inspirado no filme produzido pela Dream Works. O evento, que leva o esporte para o palco, está agendado para os dias 5 e 6 de julho, no Teatro do Engenho, e envolve a participação de mais de 100 ginastas. Em 2019, a apresentação será feita em conjunto com o Laboratório da Dança (Santa Bárbara d’Oeste), NAC (Núcleo Artístico Corpus) e Academia Tatiana Carraro (Rio Claro), além da parceria no cenário com Carlos ABC.

“Nós estamos antes do ensaio geral, finalizando as coreografias. Algumas estão prontas e outras ainda não. São 15 coreografias amarradas com as cenas de teatro, o espetáculo terá no máximo 1h30 de duração”, disse a professora Cibeli Sacconi. O ensaio geral acontece nos dias 18 de junho e 1º de julho, na academia Corpo Livre, e no dia do evento, no período da manhã, no Teatro do Engenho. Os ingressos antecipados serão vendidos na Corpo Livre (rua Manoel Chadad, 27, Nova Piracicaba), até o dia 3 de julho, e custam R$ 90 (inteira) e R$ 45 (aposentados, estudantes e professores da rede pública de ensino). A bilheteria do teatro será aberta uma hora antes do evento, e os preços aplicados serão os mesmos.

No ano passado, a equipe apresentou o espetáculo Catchs, releitura do musical Cats, composto no início da década de 1980 pelo produtor britânico Andrew Lloyd Webber e que ficou por 18 anos em cartaz na Broadway. A opção pela mudança de rumo, acompanhada pela rotatividade das ginastas, oferece novos desafios. “As turmas novas e as crianças iniciantes precisam se adaptar, é um processo com muitos detalhes. Após o espetáculo, nós conhecemos melhor as ginastas. O que nos norteia é o aplauso, e a correção fica mais fácil depois de conhecer as reações. É mais fácil lapidar”, afirmou.

Cibeli e Fernanda: parceria entre ginástica e dança tem dado ótimos resultados (Foto: Líder Esportes)

Cibeli também explicou a opção pelo tema. “Gosto muito do filme, da questão que envolve os guardiões das crianças e das mensagens que eles passam, da união dessas lendas. Quantas crianças ainda acreditam nisso? Eu tenho filho, sei como funciona”, contou a professora. “O que me ‘pegou’ esse ano foi o espetáculo de 20 anos do Laboratório de Dança, em 2018, quando nós participamos como convidados. Lá, ginasta fez ginástica, bailarino fez ballet e ator fez teatro. Nós usávamos ginastas para tudo, agora fizemos essa dissociação”, completou.

REGULAMENTO

De acordo com Cibelli, o espetáculo envolve ginástica acrobática, rítmica e jazz. “É importante estar atualizado. Pelo último código de pontuação de acrobática, na montagem de uma série para duplas, por exemplo, são necessárias três pirâmides e três lançamentos. Para unir isso, tenho exercícios individuais que devem ser executados ao mesmo tempo. Em vez de acrobacia, a trajetória requer a dança. Isso para diferenciar da ginástica artística. É algo que interfere nas competições e na composição coreográfica”, contou.

A parceria com a dança, portanto, será fundamental para execução do espetáculo. “Essa troca é muito positiva, dança e ginástica somam muito uma para a outra. Vejo isso no dia a dia, o salto de qualidade e a consciência corporal de quem faz as duas modalidades. A dança fica melhor dançada, com força, impulsos e flexibilidade, e traz mais elegância, um acabamento para a ginástica. A fluidez é maior. As meninas são super capazes, vamos chegar rapidinho ao nível que desejamos”, finalizou Fernanda Araujo, coreógrafa e proprietária do Laboratório da Dança.

Voltar