fbpx
Ginástica Rítmica

Corpo Livre estreia equipe de competição em 2019

Torneio Attitude e Copa Iniciação são os primeiros desafios do novo grupo

Equipe de Competição de Ginástica Rítmica - Academia Corpo Livre
A equipe de competição da Corpo Livre é formada atualmente por nove ginastas (Foto: Líder Esportes)

Formada no início do ano, a equipe de competição de ginástica rítmica da academia Corpo Livre concentra as atenções em duas datas na temporada 2019. A estreia está agendada para o dia 11 de maio, no Torneio Attitude Individual. Em novembro, o desafio será a Copa Iniciação, evento para conjuntos que será realizado no Clube Cristóvão Colombo, em Piracicaba. A responsável pela preparação das meninas, que acontece desde a primeira semana de fevereiro, é a treinadora Helena Macchi.

“Nós começamos o trabalho na primeira semana de fevereiro, junto com o calendário escolar. No primeiro mês, tivemos aulas temáticas. A atividade teve um caráter mais lúdico, também com a parte física e a prática. Depois do Carnaval, intensificamos os treinos específicos com aparelhos”, afirmou Helena. Atualmente, o grupo conta com nove ginastas na faixa etária dos 8 aos 12 anos de idade. No momento, o plantel está fechado e não há vagas para integração.

“Nós escolhemos as meninas com alguns critérios, como a maturidade esportiva e motora semelhante, para não destoar muito. Também optamos pelas ginastas que já competiram no individual ou em grupo”, contou a treinadora, que completou. “São meninas novas e as competições que vamos disputar servem para iniciação. Por esse aspecto e por ser a primeira experiência, nossa cobrança é que elas acertem as coreografias e façam o melhor que puderem. É claro que elas querem ter uma pontuação de destaque na categoria, mas não existe uma cobrança”, disse.

Além das competições, a Corpo Livre tem como foco em 2019 a apresentação do espetáculo A Origem dos Guardiões, que será apresentado nos dias 5 e 6 de julho, no Teatro do Engenho, e envolve a participação de mais de 100 ginastas. Segundo Helena, existem diferenças na preparação para os dois eventos. “Tem um pouquinho de diferença. Como a primeira competição é individual, não fazemos o trabalho coletivo. É a mesma série, mas individualmente. Temos menos tempo para o espetáculo, mas vamos aproveitar a maior parte da coreografia individual”, finalizou.

Voltar