fbpx
Opinião

Consistência

*Capa: Elcio Fabretti

Os 15 minutos iniciais do XV de Piracicaba contra o Taubaté foram alucinantes e incomuns.

Alucinantes, porque o time piracicabano encurralou o adversário de tal forma que criou cinco oportunidades em um quarto de hora, convertendo três em gol. A sorte ajudou quando o chute de Kadu desviou na zaga e encobriu o goleiro Rafael Roballo, que foi incapaz de defender a pancada de Gilberto Alemão. Ronaldo, o centroavante mais técnico que o XV teve no último lustro, mostrou senso de posicionamento para pegar o rebote do goleiro e marcar o terceiro gol.

Incomuns, porque o que aconteceu sexta-feira (22) não ocorre com frequência no futebol. É um prêmio à convicção do técnico Tarcísio Pugliese: propor e acelerar, independente do estágio do jogo. As circunstâncias determinam a validez da estratégia. A palavra convicção é a que utilizamos para as ideias acertadas de um treinador. Quando enxergamos erros, mudamos para teimosia. Pugliese tem sido teimoso na insistência com o pequenino Andrei, que é esforçado, mas não mostrou nada além de esforço nas várias chances que teve.

Gostei das outras duas substituições feitas pelo treinador. Elias Ceará ocupou o lugar de Walfrido, lento ao sair para o jogo e insosso no único gol marcado pelo Taubaté. A entrada de Cassio Gabriel diminuiu riscos e congestionou o meio-campo, que ficou vago com a ausência do ótimo Misael, lesionado, com tantos atacantes e nenhum especialista na fase de articulação. A exposição sempre facilita o contra-ataque para o adversário de uma equipe que toma a iniciativa.

O gol do Taubaté foi o primeiro sofrido pelo XV no Barão da Serra Negra. Boa parte do excelente retrospecto é culpa do goleiro Luiz Fernando e dos zagueiros Douglas Marques e Gilberto Alemão, que ontem se desentenderam duas vezes quando o placar apontava 1×0. Particularmente, gostei mais uma vez da atuação de Robertinho, lateral que se mostrou tímido no ataque quando atuou na posição de origem, a direita, onde Jéfferson Feijão é titular indiscutível. Improvisado na esquerda, Robertinho transmitiu segurança contra São Bernardo e Taubaté.

Segurança que o ataque também passa pela quantidade e pela qualidade. Kadu é uma grata surpresa: comprometido taticamente, é o jogador que tem se mostrado incisivo ao buscar o drible, quebrando linhas. Ítalo é menos constante, por vezes aéreo, mas não dá para contestar o poder de finalização que possui. O elenco tem mais opções: Bruninho e Formiga, possivelmente Luizinho. Não tenho dúvida de que o XV de Piracicaba vai brigar pelo acesso. Não é brilhante, mas é consistente. E a Série A2 não pede brilho, pede consistência.

Leonardo Moniz é editor de conteúdo do LÍDER

Voltar