fbpx
Opinião

Confirmação

Vamos para a reta final. Restam apenas quatro jogos para terminar a primeira fase do Campeonato Paulista da Série A2 de 2019: dois em casa e dois fora. Hora do XV de Piracicaba mostrar que está pronto. Momento de confirmar todas as condições para a conquista do acesso. Depois do Linense, o XV voltará a jogar em Piracicaba já na próxima sexta-feira (15), enfrentando o Juventus. Na sequência, fora, Votuporanguense (20) e Rio Claro (24), e finalizando a primeira fase, no Barão da Serra Negra, dia 30 de março, o Atibaia.

O XV teve um bom começo. Depois, algumas apresentações irregulares preocuparam. Veio a reabilitação que não só acalmou, como devolveu a certeza de que o Alvinegro tem condições de chegar onde quer e deseja. O XV mostra ter um time produtivo e só não pode relaxar, ou seja, tem que manter o foco e continuar mostrando competitividade. Embora o futebol não seja construído com lógica, é importante estar entre os quatro primeiros. Duas vantagens: quando da segunda fase, vão sempre se cruzar os melhores contra os piores e com os quatro melhores decidindo em casa.

O Alvinegro Piracicabano tem tudo para consolidar a vice-liderança e pode sair em busca do primeiro lugar, embora seja justo reconhecer a boa campanha do Água Santa. Os dois mais próximos do XV, ambos com 17 pontos, o Rio Claro joga em sua casa, sábado (9), contra São Bernardo. No domingo (10), será a vez da Portuguesa Santista receber o Sertãozinho.

Numa simulação, se acontecesse agora as quartas de final, o XV novamente se reencontraria com o Linense. Completando as simulações: Água Santa x Santo André, Portuguesa Santista x Inter de Limeira e Rio Claro x Juventus. Mas, ainda faltam 12 pontos para serem disputados. Normalmente esses confrontos mudam a cada rodada.

Acredita-se que aquela fase de incertezas acabou. Isso, absolutamente, não quer dizer que os tropeços, muitas vezes inacreditáveis, não possam mais acontecer. Entretanto, a ordem é consolidar-se em todos os sentidos: técnica, física, tática e inclusive emocionalmente.

Não querendo desmerecer os participantes do campeonato, não existe ninguém melhor que o XV, com exceção do Água Santa. Mesmo assim, é possível enfrenta-lo de igual para igual. Contudo, tem um adendo e ele é fundamental: o mata-mata é um outro campeonato. Então, será importante atentar para detalhes, ou seja, qualquer vacilo se torna fatal. Tem que entrar em campo convicto de que não pode falhar, sem dar a mínima chance para o azar. Com certeza tudo vai terminar bem.

Roberto Morais é jornalista e deputado estadual

Voltar