fbpx
Automobilismo

Competição tem campeões antecipados no ECPA

Alexandre Souza fatura o título na divisão super da categoria Marcas & Pilotos

Copa ECPA de Velocidade
Stefanini venceu a corrida, mas Souza garantiu o título por antecipação (Foto: ECPA/Divulgação)

Mesmo sem vencer, Alexandre Souza faturou o título da Copa ECPA de Velocidade na categoria Marcas & Pilotos com uma etapa de antecedência. As provas realizadas no último sábado (21) foram válidas pela sétima etapa da competição e aconteceram no autódromo do Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo – na ocasião, também foram disputadas corridas pelas categorias Clássicos de Competição e Fórmula 1.600. Ao todo, foram seis baterias. A próxima etapa do torneio está agendada para os dias 12 e 13 de dezembro e encerra a temporada de 2015.

“Acho que foi um título merecido, pois estive no pódio em todas as etapas do ano,  algo que ninguém conquistou. Foi um campeonato que premiou minha regularidade, uma característica que sempre esteve em alta durante toda a temporada”, afirmou Souza, piloto que conquistou o título pela segunda vez – ele já havia sido campeão em 2013.

Souza venceu o título da categoria super com uma etapa de antecedência

Souza chegou em segundo lugar nas duas baterias realizadas no último fim de semana. A vitória em ambas as provas foi de Rodrigo Stefanini. “Infelizmente, a minha reação demorou muito. Quando começamos a encontrar o caminho da vitória, já era muito tarde para uma reação, pois o Alexandre soube administrar a vantagem”, afirmou o piloto de Capivari que, até então, era o campeão da categoria principal da Marcas & Pilotos (super).

Já pela divisão light, Diogo La Pena venceu a primeira bateria, enquanto a dupla Fernando Marcelino e Carlos Will ganhou a segunda. A dupla que lidera a classificação geral entre os pilotos da categoria, formada por Rafael Matta e Anderson Paes, teve uma quebra na primeira prova, mas ficou em segundo lugar na segunda bateria do dia e anotou pontos suficientes para também conquistar o título antecipado da temporada.

Entre os novatos, mesmo sem pontuar, o líder Mauricio Quagliato conquistou o título da categoria. A vitória nas duas baterias foi de Alexandre Peppe. Restando uma etapa para o término da competição, a pontuação máxima que qualquer piloto pode alcançar é de 43 pontos – situação que não provocaria mudanças no topo da classificação. “Aconteceu um fato bastante incomum na penúltima etapa do certame. A Copa ECPA de Velocidade estava bastante equilibrada e acabou por ser decidia antecipadamente em todas as divisões da categoria Marcas & Pilotos. Mas ainda há mais uma etapa e algumas categorias seguem em aberto, como a Stock Júnior  e os Clássicos de Competição”, afirmou Daniella Giannetti, organizadora do torneio.

FÓRMULA 1.600

A rodada dupla válida pela Fórmula 1.600 poderia ter garantido o título para o piloto de Piracicaba, Bruno Leme, que entrou na pista com grande vantagem para correr em casa. Mas o carioca Gabriel Lusquiños estava disposto a estragar a festa e, com um fim de semana perfeito, ficou com as duas vitórias, além de somar todos os pontos possíveis – pole position e melhor volta em ambas as provas. Com o resultado, Lusquiños diminuiu a diferença em relação ao piracicabano  para 18 pontos e levou a decisão para a última etapa, que acontecerá em Interlagos, no dia 19 de dezembro.

XXXXX

Bruno Leme tinha tudo para fazer a festa em casa, mas Lusquiños ‘estragou’ a festa do piracicabano no ECPA (Foto: ECPA/Divulgação)

Voltar