fbpx

Líder Esportes

Karatê

Com piracicabano no comando, Brasil busca vaga para Tóquio

Diego Spigolon lidera equipe brasileira no Torneio Pré-Olímpico, que começa nesta sexta-feira (11)

Diego Spigolon, técnico da seleção brasileira de karatê
O piracicabano Diego Spigolon é o responsável pela coordenação técnica da seleção brasileira (Foto: Caroline Castilho/Líder Esportes)

Oito brasileiros buscam a partir desta sexta-feira (11), em Paris, a classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio. A capital francesa será palco para o Torneio Pré-Olímpico de Karatê, que decide as vagas remanescentes para o evento no Japão. A seleção brasileira, que é coordenada pelo treinador piracicabano Diego Spigolon, será representada por seis atletas no kumite (modalidade de luta) e mais dois karatecas no kata (execução de movimentos). Três lutadores de cada categoria carimbam o passaporte para a principal competição esportiva do planeta.

“Nosso grupo tem atletas mais experientes, com maior bagagem internacional, e atletas com menor rodagem, mas todos estão muito bem preparados técnica, física e emocionalmente. Todos eles tiveram o suporte multidisciplinar. As expectativas são positivas, sentimos que o grupo chegou bem ao período final de treinamento, isso ficou nítido, e nós tomamos muito cuidado para controlar as cargas de treino para que eles estejam 100%. Agora é colocar em prática o que foi trabalhado, passa uma história na cabeça e vamos em busca desse sonho. Estou confiante”, afirmou Spigolon.

No kumite feminino, o Brasil entra no tatame com a campeã sul-americana e pan-americana Brenda Padilha (categoria +61 kg), Stephani Trevisan (-61 kg), dona de dois títulos sul-americanos, e Valeria Kumizaki (-55 kg), bicampeã dos Jogos Pan-Americanos, medalha de ouro no World Games e vice-campeã mundial. No kumite masculino, o país terá como representantes o multicampeão pan-americano e bicampeão mundial Douglas Brose (-75 kg), além de Filipe Medeiros (+75 kg), campeão brasileiro, e Vinicius Figueira (-67 kg), vice-campeão do mundo. A seleção brasileira busca a classificação no kata com Dyun Kimura, campeão brasileiro, e Nicole Yonamine, campeã sul-americana e pan-americana.

A delegação chegou à França no dia 27 de maio e passou dez dias isolada em quarentena em um hotel. O protocolo de combate à pandemia da Covid-19 foi rigoroso, incluindo uma bateria de testes de coronavírus, café da manhã servido no quarto, restrição de horários e espaço fixo para realização de treinamentos. “Nossa programação permitia dois acessos por dia ao local de treino. O lado positivo é que conseguimos ficar focados na competição, fizemos muitas análises de vídeo e observamos os adversários. Foi um período proveitoso, apesar das adaptações”, disse Spigolon.

SISTEMA

A programação do Torneio Pré-Olímpico de Karatê começa nesta sexta-feira e termina no domingo (13). O sistema de disputa tem início com o formato de eliminatórias simples, com os dois primeiros colocados garantindo vaga para o quadrangular final. Na sequência, haverá uma repescagem, também eliminatória, para a definição de mais dois atletas que avançam para a etapa decisiva. No quadrangular, todos se enfrentam em turno único. Os três melhores de cada categoria estarão em Tóquio, onde se juntarão ao representante japonês (país-sede) e aos quatro já classificados via ranking olímpico da Federação Mundial de Karatê (WKF, na sigla em inglês).

Voltar