fbpx

Líder Esportes

Karatê

Circuito Acak reúne quase 600 atletas em Piracicaba

Projeto Karatê para Todos fecha participação com 18 medalhas conquistadas na AFPMP

Circuito Acak (Associação Cooperativa das Academias de Karatê) - 7º Piracicaba Karatê Open
O karatê piracicabano mostrou força na última etapa do Circuito Acak, realizada no Ginásio da AFPMP

*Fotos: Katia Souza

O ginásio da AFPMP (Associação dos Funcionários Públicos Municipais de Piracicaba) foi sede no último domingo (10) para a nona e última etapa do Circuito Acak (Associação Cooperativa das Academias de Karatê), válida pelo 7º Piracicaba Karatê Open. O evento, organizado pela Associação Dojo Kai Karate-Do Shorin Ryu, contou com a participação de 588 atletas, que representaram 26 academias de 18 cidades do Estado de São Paulo. A programação teve início com as disputas de kata, seguidas pelas categorias do kumite.

“Foi um sucesso, tivemos uma grande participação de atletas, treinadores e do público, que girou em torno de 800 pessoas ao longo do dia. O evento teve disputas acirradas, pois foi a última etapa do ano. Os karatecas disputaram as melhores as colocações para a premiação do final do ano, na qual os três melhores de cada categoria serão agraciados com um troféu”, destacou Gilson Felipe, organizador do evento e diretor de arbitragem do Circuito Acak.

PROJETO

Com 21 inscritos, todos participantes dos núcleos instalados nos bairros Santa Rosa e Jardim Primavera, o projeto Karatê para Todos, aprovado via chamamento público e desenvolvido pela Associação Sport Way em parceria com a Selam (Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras), conquistou 18 medalhas na última etapa da competição: foram três de ouro, cinco de prata e dez medalhas de bronze. Os resultados, entretanto, não eram a prioridade do grupo.

Circuito Acak (Associação Cooperativa das Academias de Karatê) - 7º Piracicaba Karatê Open

A programação do evento realizado em Piracicaba contou com as modalidades kata e kumite

“Achei muito bacana, a participação foi muito positiva. Os nossos alunos ainda são iniciantes e disputaram com outros atletas que já estão em ritmo de competição. É preciso começar e eles foram muito bem. Algumas crianças ficaram nervosas, mas é algo que faz parte. Na minha opinião, foi um sucesso. Essa competição é muito boa para eles começarem a competir”, disse Natalia Brozulatto, atual campeã brasileira e responsável pelas aulas realizadas pelo projeto no bairro Santa Rosa.

Voltar