fbpx
Lutas

Centro Esportivo MR retoma aulas presenciais de boxe

Atividades de kickboxing seguem disponíveis no formato virtual: 'Adaptação necessária'

Marcos Ribeiro é idealizador dos projetos desenvolvidos pelo Centro Esportivo MR (Foto: Arquivo/Líder Esportes)

Com as aulas presenciais suspensas desde o fim de março por conta da pandemia da Covid-19, o Centro Esportivo MR reabriu as portas na última segunda-feira (31) para as aulas presenciais do projeto Boxe para Todos. O programa Lutando para Vencer, que desenvolve o kickboxing, segue com a programação virtual. Ambos são realizados pelo Centro Esportivo MR, foram aprovados via chamamento público, em parceria com a Selam (Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras), e oferecem aulas gratuitas das modalidades para crianças com idade mínima de 7 anos. As atividades atendem as determinações do Marco Regulatório (Lei Federal 13.019/2014).

“É uma notícia positiva. Para os alunos que preferem ainda não voltar, continuamos disponibilizando as videoaulas e oferecendo essas atividades da melhor forma possível. Sabemos que não é igual ao presencial, em que podemos tirar dúvidas instantaneamente, por exemplo. Existe também a questão de espaço, do equipamento para treinar. Em relação às crianças, os horários podem chocar com a escola. Por isso, nós optamos por gravar as aulas e assim elas podem executar as atividades no melhor horário para elas”, disse o idealizador do projeto, Marcos Ribeiro.

ADAPTAÇÕES

Para a reabertura, o Centro Esportivo MR realizou diversas adequações conforme os protocolos de segurança. De momento, as aulas de boxe acontecem em dois dias da semana: às terças e quintas-feiras, das 14h às 15h e das 15h às 16h. “Nós adaptamos a academia, limitamos um espaço de dez metros para cada aluno se movimentar dentro do treino. São apenas dez participantes por aula. Disponibilizamos também os itens para a higiene: álcool em gel, tapete sanitizante, além da aferição de temperatura de cada aluno antes das aulas”, afirmou.

Desde abril, os professores gravam aulas para não deixar de atender os alunos. O conteúdo é disponibilizado via WhatsApp. Aline Claudino e Marcos Ribeiro são os responsáveis pelo boxe, enquanto Gustavo Piacentini e Marcos Alves cuidam do kickboxing. “Foi algo novo para nós. Essa nova forma de trabalho foi discutida junto à Selam e fizemos uma adequação ao planejamento para que as aulas continuassem de forma virtual. As aulas têm o propósito não só de auxiliar na parte física e motora, mas também na psicológica. Foi uma forma que encontramos de manter o contato com as pessoas, de não perder essa parte social do projeto”, finalizou Ribeiro.

Voltar