fbpx
Boxe

Centro Esportivo MR desenvolve boxe com aulas gratuitas

As atividades são abertas para o público em geral e acontecem nos períodos da manhã e tarde

As aulas de boxe acontecem no Centro Esportivo MR em dois períodos (Foto: Líder Esportes)

O Centro Esportivo MR é responsável pelo programa Boxe para Todos, iniciativa que visa o desenvolvimento do boxe em Piracicaba. O projeto foi aprovado via chamamento público, atendendo as determinações do Marco Regulatório (Lei Federal 13.019/2014). As aulas são gratuitas e acontecem no núcleo do Centro Esportivo MR (Travessa Almeida Junior, 403, bairro Nova América), nos períodos da manhã e tarde. As turmas são divididas de acordo com a faixa etária dos participantes.

No período da manhã, as atividades ocorrem às segundas, terças e quintas-feiras, a partir das 9h, e são destinadas para crianças e adolescentes com idade de 7 a 17 anos. Pela tarde, as aulas são realizadas de segunda à sexta-feira, às 14h, com faixa etária livre. “As atividades são abertas ao público em geral e é importante ressaltar que as aulas são gratuitas. Desde o início do trabalho, estamos vivendo uma crescente, mas esperamos aumentar o número de praticantes”, disse o idealizador do projeto, Marcos Ribeiro.

METODOLOGIA

Perguntado sobre a didática utilizada nas atividades, Ribeiro enalteceu a metodologia. “O boxe é uma modalidade de contato, mas as aulas não têm nenhum aspecto de agressividade. No trabalho com as crianças, por exemplo, a metodologia começa com o desenvolvimento do gesto motor, e a partir disso vamos introduzindo conceitos que são importantes nessa idade, como coordenação motora, noção espacial, percepção e reflexo”, comentou.

“Posteriormente, nós agregamos algumas brincadeiras educativas já com o foco na iniciação técnica. A princípio, a atividade é lúdica, mais voltada ao desenvolvimento das crianças. Agora, em relação aos adultos, nós trabalhamos sim a parte de luta e competição, porém, muitas pessoas procuram o boxe pela qualidade de vida e o condicionamento físico. Nesses casos, ensinamos a parte técnica do boxe, mas sem direcionamento competitivo”, finalizou Ribeiro.

Voltar