fbpx
Opinião

Caso Robinho

*Capa: Ivan Storti

A diretoria do Santos repatriou o atacante Robinho. E traz, junto com o ídolo santista, uma polêmica tremenda, que divide crônica, torcida e amantes do futebol. Tudo porque o ‘Rei das Pedaladas’, campeão brasileiro de 2002 com o clube da Vila Belmiro, foi condenado a nove anos de prisão por estupro, em novembro de 2017, por uma corte em Milão, na Itália. Vale destacar, no entanto, que o caso ainda cabe recurso.

Robinho assinou um contrato de cinco meses com o Santos, ou seja, até o final do Campeonato Brasileiro. O presidente do Peixe, Orlando Rollo, afirmou que as críticas à contratação eram “dor de cotovelo” de torcedores rivais. Porém, não é só a torcida adversária que está desaprovando o reforço. Boa parte dos santistas também não estão felizes com a vinda de Robinho nestas circunstâncias.

Vamos pensar então: como fica a situação das torcedoras do Alvinegro Praiano? E as atletas do time feminino? Será que ficariam satisfeitas em dividir o mesmo clube com um jogador no qual pesa uma acusação dessas? Os defensores do eterno camisa 7 santista ponderam que ele ainda tem direito à defesa. Porém, o que temos na atual situação é a condenação do atleta. Se Robinho provar sua inocência, ótimo. Entretanto, se hoje ele entrar na Terra da Bota corre o risco de ser preso. Hoje, a condenação é algo real.

Logicamente, todos têm direito a trabalhar e a ser feliz. Mas será que vale mesmo essa bola dividida, diretoria santista? Sinceramente, não vejo motivo que valha a pena. Robinho não vai mudar o patamar do Alvinegro. Se fosse há cinco, seis anos, sete anos… Mas agora, no máximo, ele será um bom reserva para a dupla Marinho e Soteldo. Fora de campo já começaram os estragos. Um de seus patrocinadores, rede de franquias da área de ortodontia estética Orthopride, decidiu romper o contrato que tinha com Santos – iria até fevereiro de 2021. A marca, cujo público é majoritariamente feminino, era exibida dentro dos números da camisa do Santos.

Ciente da repercussão negativa da contratação, a direção do clube começou a conversar com os seus outros apoiadores para evitar um ‘efeito cascata’ nos próximos dias. Vamos esperar para ver se dá certo. O que eu não sei, repito, é se vale a pena o investimento, ainda mais para um clube com sérios problemas financeiros. O Peixe necessita de mais reforços, mas poderia esperar o desfecho da situação de Robinho com a Justiça para trazê-lo de volta.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar