fbpx
+ Esportes

Brasil vence Pan Júnior; piracicabano é ouro nos 100 m

Erik Cardoso encerra temporada com mais um título; país é campeão geral da competição

Erik Cardoso, velocista do Sesi-SP
Erik Cardoso encerrou ano espetacular com o título conquistado no Pan Júnior, em Cali (Foto: Washington Alves/COB)

O Brasil é campeão dos Jogos Pan-Americanos Júnior, que foram encerrados no último fim de semana em Cali, na Colômbia. O país terminou a participação em primeiro lugar na classificação geral com o total de 164 medalhas – 59 de ouro, 49 de prata e 56 de bronze. Os resultado garantiram ao Comitê Olímpico do Brasil (COB) 77 vagas antecipadas para o Pan de Santiago, em 2023. O piracicabano Erik Cardoso, atleta do Sesi-SP, voltou a brilhar na competição: com a marca de 10s33, o velocista venceu a prova dos 100 m rasos e encerrou o ano com mais um título.

Dono da melhor marca na América do Sul (10s01), Erik não largou bem, mas conseguiu se recuperar de forma espetacular para deixar para trás o colombiano Neiker Abello e o argentino Franco Florio, segundo e terceiro colocados, respectivamente. “Foi uma prova emocionante. Quando saí do bloco, fazendo a transição, senti que estava muito atrás, tentei me manter tranquilo, rodei e consegui o título. É uma honra grande estar aqui”, disse Erik, que passou por uma cirurgia em novembro após fraturar o quarto metatarso da mão esquerda.

DESEMPENHO

Apesar de ir aos Jogos Pan-Americanos Júnior com uma delegação menos numerosa do que Colômbia e México, o Time Brasil mostrou um aproveitamento impressionante na competição. Das 38 modalidades em que estava inscrito, o país conquistou ao menos uma medalha em 35 e garantiu a classificação para o Pan Santiago em 14: atletismo, ginástica rítmica, ginástica de trampolim, handebol, judô, karatê, natação, patinação velocidade, skate, taekwondo, triatlo, vôlei, vôlei de praia e wrestling.

“O Pan-Americano Júnior tem como propósito para o COB trabalhar com jovens em formação. Ainda que alguns tenham experiência olímpica, ainda estão em formação. Proporcionamos a eles uma experiência esportiva de alto nível, enfrentando atletas do continente em disputas equilibradas. Esse é um degrau dentro do processo de desenvolvimento dos novos valores do esporte olímpico brasileiro”, afirmou o diretor de esportes do Comitê Olímpico do Brasil, Jorge Bichara.

*Informações: CBAt

Voltar