fbpx

Líder Esportes

Karatê

Brasil conquista duas medalhas no Mundial de Karatê

Diego Spigolon avalia participação brasileira; Veríssimo luta bem, mas sofre lesão em Dubai

Diego Spigolon, técnico da seleção brasileira de karatê
O piracicabano Diego Spigolon coordena a seleção brasileira de karatê (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Com a presença dos piracicabanos Hernani Veríssimo e Diego Spigolon, a seleção brasileira de karatê encerrou no último domingo (21) a participação no Campeonato Mundial de Karatê Sênior, que aconteceu em Dubai. A equipe verde e amarela voltou para o Brasil com uma medalha de ouro, conquistada por Douglas Brose na categoria -60 kg, e uma prata no kata para deficientes visuais e cadeirantes, com a atleta Paula Gomes. Apesar do desempenho melhor em comparação com a última edição do torneio e dos elogios a Brose, que se sagrou tricampeão mundial, Spigolon acredita que o grupo poderia render mais.

“Houve uma evolução no desempenho e nos resultados. Os karatecas chegaram mais longe, foram mais competitivos e isso foi muito bacana, mas acredito que a seleção pode conseguir um desempenho melhor e não se satisfazer apenas em ser competitiva, sem ir ao pódio. Temos que querer alcançar uma consolidação internacional. Conquistamos o Pan-Americano, mas temos que voltar de um Mundial com mais medalhas, esse é o pensamento. O Douglas é muito merecedor, foi sua quinta medalha em mundiais, é o atleta da categoria -60 kg mais premiado da história do karatê e ficamos muito felizes com o resultado dele”, destacou o coordenador técnico.

Já Hernani Veríssimo fez cinco lutas, duas delas na disputa por equipes, mas não avançou para as finais e ainda sofreu uma lesão no músculo adutor. “O Hernani teve um bom desempenho, passou por duas lutas difíceis na categoria -75 kg e acabou perdendo a terceira luta após abrir 3×0. Voltamos com o gosto de que dava para ter ido mais longe. Na disputa por equipes ele estreou com vitória, porém, na segunda luta ele começou vencendo por 2×0, mas infelizmente sentiu o músculo adutor e não pôde continuar. Nós próximos dias ele vai fazer uma ressonância para verificar o grau da lesão, acreditamos que não é algo tão grave. Sabemos da qualidade dele, mas também entendemos que está voltando de uma série de lesões e, em breve, se Deus quiser, ele estará 100%”, explicou o treinador.

DESAFIO

Convidado pelo professor Ulisses Santos, Spigolon integrará pela primeira vez a comissão técnica da seleção brasileira sub-21 nos Jogos Pan-Americanos Juniores, em Cali, na Colômbia. A delegação embarca na próxima segunda-feira (29). “As expectativas são positivas. O grupo que está indo para os Jogos é o mesmo que esteve no Mundial Sênior, eles vão chegar com uma bagagem muito boa, com experiência e confiança, e eu tenho convicção de que vamos voltar de Cali com bons resultados e classificações para os Jogos Pan-Americanos de Santiago, que acontecem em 2023”, finalizou.

Voltar