fbpx
Lutas

Boxe Chinês Piracicaba fecha 1º semestre com chave de ouro

Equipe piracicabana sob o comando de Daniel Cruz fatura 21 medalhas em quatro eventos oficiais

Equipe Boxe Chinês Piracicaba 2022
A equipe Boxe Chinês Piracicaba vem brilhando na temporada 2022 (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

A equipe Boxe Chinês Piracicaba fechou o calendário competitivo do primeiro semestre de 2022, retomado após a pandemia da Covid-19, com o pé direito: foram quatro competições oficiais disputadas nos últimos dois meses e o total de 21 medalhas conquistadas pelo grupo comandado pelo treinador Daniel Cruz – 16 ouros, três pratas e dois bronzes. Os resultados expressivos obtidos na Copa do Brasil, na Copa Santo Amaro e nas duas etapas do Projeto Kung Fu foram enaltecidos pelo técnico, que já pensa no planejamento para a segunda metade da temporada.

“Foram quatro competições realizadas em apenas dois meses, os quatro primeiros campeonatos que nós disputamos pela equipe Boxe Chinês Piracicaba devido à pandemia da Covid-19. Estamos orgulhosos, pois 100% dos atletas que participaram dos eventos oficiais voltaram para casa com medalhas. No primeiro semestre, o objetivo foi alcançado. Pensando no cenário competitivo, nós teremos no mês de setembro o Campeonato Paulista para disputar, mas o foco agora do trabalho é preparar os atletas para o exame de graduação”, afirmou Daniel Cruz.

As 21 medalhas da equipe piracicabana foram conquistadas por 10 atletas: Bruno Barbedo e Luis Felipe somaram três ouros cada, enquanto José Ednaldo Macedo faturou duas vezes o ouro e ainda garantiu um bronze. Manuella Pizzoquero Bunho também conquistou duas vezes o lugar mais alto do pódio. Já Vinicius Braga conquistou uma medalha dourada e duas de prata. Pedro Macedo foi medalhista em duas ocasiões: um ouro e um bronze. Completam a lista Stefany Silva, Yasmin Vanzo e Vinicius Silva, todos com uma medalha de ouro conquistada, além de Adenilson Gomes, que faturou uma prata.

“São estreantes no boxe chinês, atletas que estão começando a história no esporte. Nós começamos o trabalho no segundo semestre de 2019, mas logo tivemos a pandemia (Covid-19). O projeto tem como objetivo utilizar a arte marcial como instrumento para que eles possam se superar na vida”, contou Daniel Cruz. “Em relação ao desempenho dos mais novos, a cobrança não é pelos resultados. São crianças, o importante é que elas se divirtam, que elas brinquem. É assim que conduzimos as atividades”, completou o professor do time Boxe Chinês Piracicaba.

Voltar