fbpx
+ Esportes

Biribol piracicabano quer ser competitivo em Marília

Elenco dirigido por Armando Gameiro representa cidade nos Jogos Abertos do Interior

Edson Silva é um dos representantes do biribol piracicabano nos Jogos Abertos do Interior (Foto: Líder Esportes)

A equipe Experimento Intercâmbios/Sport Way/Selam representa Piracicaba no torneio de biribol dos Jogos Abertos do Interior. O time viaja na próxima quinta-feira (14) para Marília, que recebe a 83ª edição do evento. A competição, que terá jogos disputados no sistema de três sets e 21 pontos sem vantagem, começa na sexta-feira (15) e termina domingo (17). A modalidade reúne 12 cidades divididas em quatro chaves. Piracicaba está no Grupo C, ao lado de Adamantina e Taquaritinga. Os dois primeiros colocados avançam para as quartas de final.

“É um grupo bastante difícil, pois as equipes de Adamantina e Taquaritinga estão brigando pelos títulos nacionais neste ano. A nossa equipe ainda está em formação. Tivemos uma reestruturação em 2019 e conseguimos nosso principal objetivo, que era vencer os Jogos Regionais. Além disso, tivemos participação importante em eventos de nível nacional. O objetivo é ser competitivo em Marília e ganhar força para os próximos anos”, afirmou o técnico Armando Gameiro.

Em 2019, o time piracicabano ficou com o vice-campeonato na primeira etapa da Liga Paulista de Biribol, em Taquaritinga, e foi campeão invicto nos Jogos Regionais de Botucatu. O grupo também participou da Copa Brasil, em Olímpia, mas acabou eliminado na fase de classificação. “O nível dos Abertos será semelhante ao que enfrentamos em Olímpia, reunindo os principais times. O nível é alto, mas vamos lá para competir. Queremos fazer um bom papel, pensando em ganhar entrosamento para o próximo ano”, disse o jogador Edson Silva.

Gameiro e Silva: expectativa é ser competitivo nos Jogos Abertos, em Marília (Foto: Líder Esportes)

ELENCO

Além de Gameiro e Silva, o biribol piracicabano será representado em Marília por mais quatro jogadores: Alan Camargo, Carlos Fontes, Marcelo Bacci e Erick Delsoto, que também é assistente técnico. O elenco é experiente, mas começou a jogar junto em 2019. “Nós treinamos juntos uma vez por semana. O ideal seria três, mas isso não é fácil em um esporte amador. Porém, o nosso treino é muito pegado e temos um bom nível, comparado às equipes da região onde a modalidade surgiu (Birigui)”, destacou Edson Silva.

“Piracicaba sempre foi uma referência no biribol. Por muito tempo tivemos uma equipe campeã e, nos últimos anos, resolvemos fazer uma reformulação, trazer pessoas mais jovens e com menos rodagem. Focamos mais na formação do que no rendimento. A ideia é que essa base chegue ao rendimento. Hoje, somos muito respeitados, porém, ainda estamos em uma fase crescente. Temos a certeza de que vamos brigar pelo topo novamente nos próximos anos”, finalizou Gameiro.

Voltar