fbpx
Judô

Beninho Mattos é promovido a Kodansha pela CBJ

Surpreso e emocionado, treinador receberá faixa coral 6º Dan pela confederação

Beninho Mattos, treinador de judô da academia Heisei
O professor Beninho Mattos foi promovido a Kôdansha, faixa coral 6º Dan (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

Surpreso e emocionado. Foi assim que, no dia 14 de abril, o professor de judô Beninho Mattos recebeu o comunicado da CBJ (Confederação Brasileira de Judô) de que havia sido promovido a Kodansha – faixa coral 6º Dan. Segundo a CBJ, Kodansha é um “título de alta graduação que deve ser concedido àqueles que se empenharam no aprendizado, na prática contínua e na dedicação do ensino, do estudo e da pesquisa do judô”. A cerimônia de entrega do certificado e da faixa, porém, ainda não tem data para ser realizada em virtude da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“É uma grande vitória para mim. Eu fiquei muito contente e emocionado. Quando alcancei a faixa preta e recebi as graduações, me desenvolvendo como professor, passei a almejar esse degrau, que é como passar para a elite da categoria. Nós mandamos um currículo para a Federação Paulista de Judô e, se aprovado, ele é encaminhado para a CBJ. Pensei que não receberia (a promoção) neste ano. Na verdade, eu nem tinha visto. Foram os alunos que leram o comunicado e me avisaram. É uma vida inteira dentro do judô e eu esperava muito essa graduação já tem algum tempo”, disse.

A relação de Beninho com o judô começou na infância e já dura 53 anos. O sensei começou a treinar com os irmãos Mubarac, Paulo Roberto e Luiz Carlos, aos 10 anos de idade. “Eles deram um grande impulso para o judô em Piracicaba. Quando eu era adolescente, comecei a ajudá-los nas aulas com as crianças. Como eu tinha um bom desempenho nas lutas e era mais leve, fui colocado para lutar na categoria adulta também, mesmo sendo juvenil. Conquistei títulos no adulto e um deles foi nos Jogos Regionais. Eu participei dos Jogos Abertos, Jogos da Juventude, do Troféu Bandeirantes. Passei a me destacar e, através da equipe da cidade, que era muito forte, fomos convidados a participar de campeonatos fora da região”, afirmou Beninho.

ATUALIDADE

Atualmente, o professor é responsável pela Academia Heisei de Judô, onde realiza um trabalho educativo e de formação pelo esporte para crianças a partir dos 4 anos de idade. No local, Beninho trabalha ao lado dos filhos Gabriel (faixa marrom) e Rene Mattos (faixa preta). O sensei também tem o nome ligado ao desenvolvimento do judô na cidade. “Com 17 anos comecei a dar aulas. Fui professor no Clube Palmeiras por um período e na Sany, que ficava na rua do Rosário, além da academia dos Irmãos Mubarac. Quando entrei para a faculdade de engenheira civil, eu também dei aulas para os amigos do curso”, disse.

“Eu tenho que agradecer sempre aos meus senseis, Paulo e Luiz Mubarac, porque me ajudaram e me deram muita força. A base toda veio deles. E também agradecer a minha esposa e aos meus filhos. Não foi fácil, principalmente pelos fins de semana em que fiquei longe da família. Tive muita compreensão e eles fazem parte dessa conquista”, completou o professor, que atuou durante 30 anos no Clube de Campo de Piracicaba e fundou a Academia Heisei de Judô há uma década.

Voltar