fbpx
Tênis

Aulas de tênis atendem diferentes faixas etárias

Modalidade oferecida pelo clube pode ser excelente opção no pós-pandemia

Aulas de Tênis - Clube Cristóvão Colombo
Os professores Odair Cordeiro, Odair Aroyo e Cícero Albuquerque comandam o tênis no CCRCC (Foto: Líder Esportes)

“Quando estou em quadra, tudo fica de lado. Quem não joga, não entende isso”. A frase, que foi cunhada pelo ex-tenista americano John McEnroe, figura lendária do esporte, dá uma noção do poder ‘terapêutico’ do tênis. O momento é de cuidar da saúde e ficar em casa, devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Mas, quando a doença for superada, os piracicabanos terão no Centro Cultural e Recreativo Cristóvão Colombo uma opção para praticar a modalidade. O clube possui estrutura com nove quadras de saibro, todas no mesmo plano, e iluminação de led.

Atualmente, são cerca de 150 praticantes, que variam desde o nível iniciante ao avançado. As aulas são abertas para sócios e não associados, independente da faixa etária. “Nossa filosofia de trabalho varia de acordo com o objetivo dos alunos, tanto para aprendizagem ou aperfeiçoamento da modalidade, elevando o nível de jogo, quanto para as pessoas que buscam condicionamento físico ou momentos de lazer”, explicou o professor Cícero Cavalcante de Albuquerque, há cerca de um ano no Cristóvão Colombo.

Cícero começou a trajetória na modalidade como ‘boleiro’, 25 anos atrás. Depois, passou a jogar e chegou ao nível de primeira classe, e atualmente disputa a categoria especial. O professor trabalha com jogadores desde o nível intermediário ao avançado no clube colombino. “Nossas aulas poderão ser agendadas de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h, individuais ou em grupo. O trabalho individual é mais específico; em grupos, reunimos quatro pessoas, com exceção da escolinha para as crianças. Nos treinos coletivos, focamos mais nos jogos para melhorar a dinâmica da atividade”, contou.

INCENTIVO

Odair Cordeiro é professor de tênis do CCRCC desde 2017, mas têm 22 anos de história no esporte. No clube, ele trabalha com crianças, adultos e também com aulas para terceira idade. “Em cada caso, o acompanhamento é específico. Com a terceira idade, focamos muito em movimentação e coordenação motora. Isso também implica em cuidados com o material utilizado, que é mais leve. Em relação ao pessoal que busca rendimento, a preparação é diferente, mais intensa para torneios. Nesse caso, o trabalho é mais coletivo, com mais jogos”, afirmou.

A escolinha para crianças é coordenada por Odair Girão Aroyo, professor que o desenvolve trabalho há quase 30 anos no Cristóvão Colombo. As aulas são mistas, compreendem a faixa etária dos 5 aos 11 anos e têm como prioridade incentivar os praticantes. “A escolinha é a base de tudo para a criançada, e o número de participantes varia conforme a aula, mas também atendemos individualmente. Além do primeiro contato com a raquete e a bolinha, nós promovemos integração e disciplina. Fazemos brincadeiras, com atividades lúcidas, mas sempre com o compromisso de ensinar. Assim como na terceira idade, adaptamos os materiais para as crianças”, finalizou.

Voltar