fbpx
Muay Thai

Atletas encaram competição de muay thai em SP

Lucas Oliveira e Vinicius Piza disputam a sétima edição do Skull Heart Fighters

Lucas e Vinicius, lutadores de muay thai da equipe In Fight, ao lado do professor Régis (Foto: Líder Esportes)

Dois lutadores do Centro de Treinamento In Fight Piracicaba, equipe comandada pelo treinador Luis Reginaldo Pezzato, o Régis Muay Thai, disputam no dia 9 de junho, em São Paulo, a sétima edição do Skull Heart Fighters. Vinicius Piza, 21, vem de duas vitórias consecutivas, uma delas por nocaute, e luta pela categoria 70 kg. Dono de um cinturão paulista, Lucas Oliveira, 21, soma no cartel 13 vitórias e apenas uma derrota, e vai encarar uma revanche contra Yuri Panda pelo absoluto.

“A luta que fiz contra o Panda foi a minha primeira derrota. É um adversário conceituado e experiente, mas tive algumas falhas. Estou treinando para enfrentar ele novamente, porque será uma das lutas mais importantes para mim”, afirmou Lucas, que já nocauteou sete oponentes na breve carreira. “Espero fazer um bom combate, estou treinando para isso e prometo dar o meu melhor. A preparação está sendo radical, faz tempo que eu não me dedicava tanto para uma luta quanto agora”, destacou o lutador.

PARTICULARIDADE

Vinicius, por sua vez, tem um ritual particular nas semanas que antecedem o evento. “Eu nunca quero saber quem é o meu adversário, é uma particularidade minha. Não procuro nome, não vejo foto, não quero saber nada. Nunca traço uma estratégia só e treino tudo o que pode ocorrer numa luta. Mantenho o físico sempre bem preparado para todos os rounds e sou um lutador bastante técnico. É no primeiro round que vou conhecer meu adversário e traçar a minha estratégia. Tenho essa facilidade de executar a ordem que vem do córner”, disse.

Perguntado sobre uma possível desvantagem em relação ao adversário que tivesse estudado seu jogo, Vinicius disse que é algo que pode fazer diferença. “Se estou em constante evolução, o meu adversário pode ter visto um vídeo meu da semana passada, mas eu não vou ser mais o mesmo. Não estudo meus rivais, estudo a mim mesmo. A minha ligação com o meu treinador é muito forte, ele sempre me ajudou, deu apoio, basicamente sabe tudo que acontece e aconteceu em minha vida. Meu sonho era ser lutador e eu realizei meu sonho por causa dele”, destacou.

Lucas Oliveira e Vinicius Piza preparam-se para a disputa do Skull Heart Fighters (Foto: Líder Esportes)

Ao contrário do companheiro de treino, Lucas sabe perfeitamente quem será o rival no Skull Heart Fighters e quer usar o conhecimento que tem sobre o adversário como fator positivo. “Conheço o jogo dele e estou me preparando acima disso. Fisicamente, estou bem para lutar, melhor do que na primeira luta. Vou pegar pesado”, falou o atleta, que também elogiou o trabalho realizado por Régis. “Sou grato pela oportunidade que ele me deu, sinto que estou crescendo e adquirindo muito conhecimento. Hoje, sou instrutor e tenho minha equipe (Athletic Training) graças a ele”, finalizou Lucas.

Além do Skull, ambos estão confirmados no In Fight 13, previsto para o mês de agosto e que terá na luta principal a disputa de cinturão entre Leandro Ogro e William Costa. “É um evento que promete, o último já foi um sucesso e a galera está cada vez com mais vontade de lutar. Temos boas lutas casadas e estamos trazendo atletas renomados, como o Leandro, que é experiente, lutou na Tailândia. Isso mostra a credibilidade do evento e motiva os mais jovens. Vai ser um espetáculo. São 13 edições de muito crescimento”, concluiu Régis.

Voltar