fbpx
Kickboxing

Atleta inicia ano com três medalhas na Copa América

Lutador piracicabano avalia experiência em Foz do Iguaçu como 'positiva'

Mangue Seco, lutador de kickboxing da equipe Company Top Fight
Mangue Seco coleciona medalhas no kickboxing: atleta é inspiração para novos lutadores (Foto: Líder Esportes)

Na primeira competição que disputou em 2019, o experiente lutador piracicabano Vitor Wagner, conhecido como Mangue Seco, conquistou três medalhas. A façanha foi alcançada no último fim de semana, em Foz do Iguaçu (PR), cidade que recebeu a Copa América de Kickboxing. Mangue, que disputa a categoria máster 74 kg, ficou com o ouro nas modalidades light contact e point fight. A medalha mais especial para o atleta da equipe Company Top Fight, porém, não foi a dourada, e sim a prata obtida no kick light.

“A participação foi muito positiva. Cheguei lá precisando perder 2 kg e corri com capa para bater o peso. A experiência foi cansativa, mas boa, fui campeão no light contact e no point fight também. No kick light, enfrentei na final um lutador uruguaio, que é mestre segundo dan e já lutou WGP. Perdi, mas quando a luta acabou, ele disse que foi um prazer lutar comigo, que já tinha me visto e que sou um exemplo. Isso me deixou muito feliz. Foi uma homenagem”, afirmou Mangue.

Na última temporada, Mangue Seco participou de uma série de competições: Copa Tatame, Campeonato Paulista Arnold Classic, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro. A mais especial, porém, ocorreu no México, com a conquista de duas medalhas de ouro e uma de bronze no Campeonato Pan-Americano, em Cancún. “Em 2019, minhas prioridades são a Copa América e o Arnold Classic. Depois, quero ir bem na Copa do Brasil e no Brasileiro para tentar a classificação para o Sul-Americano, que será realizado no Peru. O objetivo é conquistar a vaga”, finalizou o lutador.

Voltar