fbpx

Líder Esportes

Canoagem

Após ‘susto’, piracicabanos embarcam em busca do bi mundial

Equipe formada pelos atletas Pedro Aversa, Thiago Diniz e William Ferraz consegue liberação para competir na França

Brasil, campeão mundial de rafting 2019
Três piracicabanos que participaram da campanha vitoriosa em 2019 buscam o bicampeonato (Foto: Arquivo/WRF)

Dois dias antes do embarque para o Campeonato Mundial de Rafting, na França, os piracicabanos Pedro Aversa, Thiago Diniz e William Ferraz, e o brotense Antonio Salvatti, o Zé Prego, que formam a equipe Volans, receberam a notícia de que a participação deles poderia não acontecer por conta do agravamento da pandemia da Covid-19 no Brasil. Numa corrida contra o tempo, o grupo teve o auxílio do também piracicabano Denis Terezani, supervisor da Canoagem Slalom na CBCa (Confederação Brasileira de Canoagem), que fez contato com o Ministério da Cidadania. A Pasta procurou as autoridades da cidade francesa de L’Argentière-La Bessée, onde acontecerá o evento, e conseguiu a liberação. Após o ‘susto’, os atletas viajaram nesta sexta-feira (25) para a disputa que começa na próxima segunda (28).

Na última semana, a WRF (sigla em inglês para Federação Mundial de Rafting) emitiu um comunicado no qual dizia que os competidores de países classificados como ‘bandeira vermelha ou laranja’ no enfrentamento da pandemia não poderiam participar do Mundial ou teriam que fazer uma quarentena de dez dias antes do início torneio. Sem tempo hábil para o ‘isolamento’, o grupo viveu dois dias de angústias e incertezas na espera por uma reposta oficial do governo francês. O retorno positivo permite que Aversa, Diniz e Ferraz, campeões em 2019 na Turquia, ao lado de Thiago Serra, Fábio Ramos e do técnico de Rogério Lourenção, lutem agora pelo bicampeonato.

“Fazia quase um ano que estávamos treinando para o Mundial. Já estava tudo pronto para o embarque quando recebemos a notícia na última segunda-feira (21). Foi um balde de água fria na equipe. As chances da nossa participação eram mínimas, mas existiam e acreditamos nelas. O Denis Terezani também nos ajudou fazendo o contato com o Ministério da Cidadania, que conversou com as autoridades da França. Acordei ontem (24), às 5h30, com o Chicão (Thiago Diniz) me ligando para dar a notícia da nossa liberação para competir e fiquei muito feliz. Foi uma correria para comprar novas passagens, fazer o exame de PCR, mas deu tudo certo, graças a Deus”, destacou Pedro Aversa.

Sob o comando do técnico Marcelo Ferreira, a equipe fez uma preparação intensa, com treinos diários e a disputa do Campeonato Brasileiro de Rafting R4, em maio, que resultou no título da competição. “A nossa expectativa para o Mundial é muito boa. Tudo isso que aconteceu serviu de motivação e nós queremos trazer esse título. Será um campeonato muito forte, com mais de 50 equipes. Vamos muito bem preparados, mas com os pés no chão, pois tudo pode acontecer”, completou Aversa. Antes do início da competição, conforme o protocolo divulgado pela organização, o grupo fará novos testes de Covid-19 e terá apenas uma hora de treino por dia. No período livre, os atletas deverão permanecer isolados no hotel em que ficarão hospedados.

Voltar