fbpx

Líder Esportes

Kickboxing

Após 2019 vitorioso, irmãos Alves voltam ao ringue

Atletas do Centro Esportivo MR, Julia e Marcos disputam Fight Dragon neste sábado

Marcos Alves e Julia Alves, lutadores de kickboxing do Centro Esportivo MR/Selam
Após 2019 recheado de conquistas, Marcos e Julia Alves voltam ao octógono em 2020 (Foto: Arquivo/Líder Esportes)

Quase um ano depois de disputar a última luta, os irmãos Julia e Marcos Alves, representantes do Centro Esportivo MR, retornam ao ringue neste sábado (17), na 11ª edição do Fight Dragon Kickboxing, que será realizado em Assis. É a primeira competição de ambos desde o início da pandemia da Covid-19, que suspendeu as atividades em março. Na categoria 70 kg, Marcos Alves lutará contra Pedro Gomes, de Curitiba (PR), enquanto Julia enfrentará Isabele Monique, de Maringá (PR), valendo o cinturão dos pesos leves.

“As minhas expectativas para esse retorno são muito boas. Estou treinando bem com os técnicos Gustavo Zandoval e Marcos Ribeiro, e acredito que tenho tudo para fazer uma boa luta. Essa será a minha primeira competição no ano, estou sem lutar desde dezembro, e isso me deixa um pouco mais ansioso. É uma situação bem diferente do ano passado, quando lutei 16 vezes”, afirmou Marcos, que é professor de kickboxing no projeto realizado pelo Centro Esportivo MR em parceria com a Selam (Secretaria de Esportes, Lazer e Atividades Motoras)

Em 2019, o lutador teve uma temporada vitoriosa: conquistou o título brasileiro pela CBKB (Confederação Brasileira de Kickboxing), venceu o Ichiban e sagrou-se vencedor do Fight Club Den Haag, na Holanda. Neste ano, a realidade tem sido bem diferente. “Por conta da pandemia, os treinos não foram tão bacanas, mas continuamos treinando mesmo com as dificuldades. Agora, a rotina tem sido mais próxima ao ‘normal’. Eu recebi o convite para a luta há cerca de 45 dias e conseguimos encaixar bem a programação de treinamentos”, disse Marcos.

INTENSIDADE

Com uma rotina intensa de treinamentos, Julia Alves também não esconde que vive com ansiedade a expectativa pelo retorno ao ringue em uma competição oficial. “Eu estou ansiosa e ao mesmo tempo calma para a luta. Estou treinando muito, duas vezes por dia, todo santo dia. Estou fazendo o meu melhor. Faz quase um ano que eu não luto e acredito que isso me deixa um pouco mais ansiosa que o normal”, destacou a lutadora piracicabana.

Assim como o irmão, a atleta terminou a temporada passada com diversas conquistas: Ichiban, Spartans Kickboxing e ouro nos Jogos Abertos do Interior. Em 2020, porém, o coronavírus alterou os planos. “Mesmo treinando todos os dias, eu engordei e isso foi prejudicial porque quando surgiu essa luta eu estava muito acima do peso da minha categoria. Além de treinar para lutar eu também tive que treinar para perder peso. Isso dificultou bastante, mas já consegui chegar ao peso ideal. Vou lá para fazer o melhor que eu puder”, completou Julia.

Voltar