fbpx
Voleibol

Apiv contrata campeão olímpico Chico dos Santos

Braço direito de Bernardinho será responsável pela formação de novos atletas

Chico dos Santos, treinador de vôlei da equipe masculina da Apiv
Chico dos Santos chega para iniciar um trabalho de quatro anos na Apiv (Foto: Leonardo Moniz/Líder Esportes)

A Apiv/Amhpla/Unimep/Selam (Associação Piracicabana de Voleibol) anunciou nesta quarta-feira (15) a contratação de Chico dos Santos, braço direito de Bernardinho nas conquistas de oito Ligas Mundiais, três Campeonatos do Mundo e o histórico ouro olímpico de 2004, em Atenas, pela seleção brasileira masculina. Em Piracicaba, cidade que o revelou para o voleibol, em 1979, Chico será treinador da equipe masculina da Apiv e vai integrar a comissão do time feminino, ao lado do técnico Zeca.

Chico fez história em Ribeirão Preto em 1994 e, desde então, a carreira deslanchou

“Estou muito contente de voltar a Piracicaba, é uma cidade que guardo em meu coração. O trabalho que o Zeca vem fazendo aqui é muito bom em termos de equipe, mas ainda há uma carência no que diz respeito à quantidade de jogadoras. Nossa ideia principal, nos próximos quatro anos, é tentar formar jogadoras de voleibol”, disse Chico. “A vinda dele para Piracicaba tem um peso muito importante. Nós estamos fazendo testes para identificar qual é o momento que vive o voleibol em Piracicaba. Acreditamos que isso pode gerar excelentes frutos e quem vai ganhar é a cidade”, afirmou Zeca.

Natural de Pará de Minas (MG), Chico dos Santos é dono de uma carreira meteórica no vôlei. Após deixar Piracicaba, o treinador ficou quatro anos no Santos Futebol Clube antes de chegar a Ribeirão Preto, em 1992. Aos 32 anos, Chico fez história no comando da equipe feminina da Recreativa ao vencer o Campeonato Brasileiro de 1993/94, que tinha no elenco jogadoras como Ana Lúcia, Edna, Estefânia e Fernanda Venturini. O técnico ainda passou duas temporadas no Minas Tênis Clube antes de firmar a parceria com Bernardinho, que durou cerca de 15 anos na seleção brasileira – em clubes, Chico ainda trabalhou na Espanha e Grécia.

“A convivência com o Bernardinho foi sempre muito boa. É uma ótima pessoa, somos amigos e nos falamos bastante ainda hoje. Foi uma troca de conhecimentos muito grande. Ele me convidou para trabalhar e a parte técnica de bloqueio fui eu que fiz com a seleção, além de ajudar nos sistemas defensivo e ofensivo”, disse Chico, que vai procurar o antigo parceiro para falar sobre a nova empreitada. “Vou falar com o Bernardinho nos próximos dez dias e acredito que ele pode nos ajudar com o trabalho aqui em Piracicaba”, complementou.

PROJEÇÃO

De acordo com Chico, o objetivo a ser alcançado nos próximos quatro anos pela Apiv é revelar atletas. “Nós queremos montar a equipe da Apiv com 90% de jogadoras piracicabanas, ou seja, formadas aqui. Hoje, é difícil correr atrás de reforços, montar o time às pressas. Além disso, o gasto é muito alto para contratar. Quando eu saí daqui, em 1983, Piracicaba tinha quase 200 meninas jogando. Hoje, não tem. Nós contamos também com o apoio da prefeitura para alcançar os objetivos”, revelou.

Segundo Zeca, a experiência de Chico é um fator que deve contribuir em alta escala para o sucesso do trabalho. “Ele vivenciou todas as fases: formação, massificação e qualificação de jogadoras. E isso, sem recursos. Quando se trabalha com qualidade e capacidade, se forma jogadoras. A manutenção, aí sim, depende de investimentos. A proposta é iniciar uma massificação de voleibol masculino e feminino, intensificar as fases pré-competitiva e competitiva. Depois, é claro, vai chegar um momento que haverá a necessidade de investimento”, finalizou.

Chico dos Santos e Bernardinho

Chico e Bernardinho: quase 15 anos de convivência na seleção brasileira (Foto: Arquivo Pessoal)

Voltar