fbpx

Líder Esportes

Boxe

Aos 54 anos, piracicabano inicia boxe para aprimorar técnica

Exemplo de persistência, Mangue Seco tem o foco voltado para o kickboxing

Marlon Pedroso e Mangue Seco, treinador e aluno da equipe Top Boxe
Marlon Pedroso e Mangue Seco fecharam parceria para o atleta treinar com a equipe Top Boxe (Foto: Líder Esportes)

Referência na capoeira, ex-praticante de atletismo e vencedor no kickboxing, sem fazer alarde para o tempo em que jogou futebol. O atleta piracicabano Vitor Wagner, que é conhecido como Mangue Seco, não sabe o que é viver longe do esporte. Aos 54 anos, ele começou uma nova experiência: o boxe. A ideia surgiu após um encontro casual com o treinador Marlon Pedroso. Mangue passou de bicicleta em frente à academia Top Boxe e ‘puxou’ uma conversa com Pedroso. A parceria, inclusive, rendeu uma medalha de prata no Arnold Classic, evento realizado no último fim de semana, em São Paulo.

Com o foco voltado para o Campeonato Sul-Americano, em novembro, no Peru, o piracicabano quer utilizar o aprendizado no boxe para evoluir no kickboxing. Em paralelo, Mangue ainda pratica capoeira e faz musculação. “Recebi o convite do Marlon, foi igual o que aconteceu com o Wilson Teodoro (técnico de kickboxing da Company Top Fight). A proposta foi boa, eu estava precisando melhorar no boxe. Sinto essa necessidade de trabalhar mais com o braço, de ganhar mais potência. O Marlon pode me ajudar nisso”, afirmou o atleta, que explicou a motivação para iniciar em mais um esporte.

“Está no sangue, como esportista, essa é minha motivação. Já fiz atletismo, capoeira, joguei futebol… Eu sempre tive uma visão boa do boxe e admirava o trabalho do Marlon e do pai dele (Julio Pedroso). Quando recebi a proposta, não pensei duas vezes. Não deixo escapar a oportunidade (risos)”, relatou Mangue, que não descarta a ideia de realizar uma luta de boxe. “Nós nunca sabemos o dia de amanhã. Se houver uma oportunidade de fazer uma luta casada, quem sabe? Estou treinando. A idade pesa, mas vou estar preparado”, disse.

Marlon Pedroso e Mangue Seco, treinador e aluno da equipe Top Boxe

O objetivo de Mangue Seco é chegar bem no Campeonato Sul-Americano (Foto: Líder Esportes)

Antes do Sul-Americano, o lutador piracicabano tem um compromisso importante agendado para o próximo mês. Mangue Seco viajará para a Argentina, para a disputa da etapa local da Copa América de Kickboxing. No início de 2019, o atleta brilhou na etapa de Foz do Iguaçu (PR) da competição: Mangue Seco ficou com a medalha de ouro nas modalidades light contact e point fight, e ainda obteve a prata no kick light, todas pela categoria máster 74 kg. O lutador não possui patrocinadores no momento e procura apoiadores para participar do torneio continental.

INCENTIVO

A falta de patrocínio, inclusive, chamou a atenção de Marlon Pedroso. Segundo o treinador, o objetivo é melhorar a postura técnica do novo aluno. “Acompanho a trajetória do Mangue há muitos anos e admiro a força de vontade e a atitude dele. Quando soube que ele estava colocando do próprio bolso para viajar, decidi fazer uma parceria com ele. É um cara que está sempre competindo, nós conversamos e fiquei sensibilizado. Claro que será um trabalho a longo prazo. Neste início, quero que ele tenha o boxe na lembrança, que comece com beabá do boxe”, disse o técnico, que já iniciou o trabalho de manopla.

“Também vamos trabalhar bastante a parte de escola de combate e sparring antes dele ir para a Argentina. Quando você trabalha com um menino novo, que ainda não teve contato com outras lutas, é mais fácil de ensinar. A criança absorve mais rápido o conhecimento. O que é difícil, às vezes, é corrigir certos vícios. O boxe é muito rigoroso na parte técnica dos golpes, no jogo de pernas. É claro que o trabalho com o Mangue não será fácil, mas vamos melhorar o boxe dele para a modalidade que ele ama, que é o kickboxing”, finalizou Pedroso.

Voltar