fbpx
Aikidô

Aiki Kaizen mantém filosofia e projeta objetivos

Trabalho pela difusão da arte marcial japonesa será ampliado em Piracicaba

Koshukai Sandans Aikidô
A ideia da Aiki Kaizen é aproximar o aikidô também do público feminino (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes)

Com a filosofia intacta, a Escola Aiki Kaizen de Aikidô iniciou 2019 com duas datas sublinhadas no calendário: em julho, será realizada a Semana Especial do Aikidô, enquanto no mês de setembro acontece o Seminário Internacional, ministrado por Vu Ha Sensei, mestre 6º dan e responsável pelo Boston Aikikai, que visitará Piracicaba pelo quarto ano consecutivo. Os eventos programados ao longo do ano servem de motivação para os praticantes da modalidade.

“Tenho certeza que o ano de 2019 será muito especial. Teremos novos desafios, que desde já nos motivam a treinar cada vez mais para alcançá-los”, afirmou o sensei Roney Rodrigues Filho, fundador da Escola Aiki Kaizen ao lado de Luciano van den Broek. “Nosso método de trabalhar não será alterando em hipótese alguma. A filosofia do amor, do carinho e do respeito sempre fará parte dos pilares básicos para ensinar o aikidô, especialmente para as crianças”, completou.

Arte marcial japonesa que se caracteriza pela não competitividade, o aikidô tem aumentado o número de praticantes com pessoas que buscam condicionamento, saúde e melhor qualidade de vida. “Percebemos um aumento cada vez maior. O público adulto deseja não competir e investe cada vez mais na saúde. O dia a dia do trabalho, a correria que parece não ter fim, fez com que muitos adultos buscassem pelo aikidô. Nosso objetivo é atender essa demanda, respeitando os limites individuais”, disse Roney.

Em junho, a Escola Aiki Kaizen realizará o exame de graduação para novos faixas pretas, o que também deve aumentar a quantidade de instrutores da arte marcial em Piracicaba, contribuindo com a estratégia de difusão da modalidade. “Eles auxiliarão no desenvolvimento. Nós temos vários objetivos. Com muito trabalho e união, eles serão alcançados. Queremos ampliar os horários, oferecendo mais opções, além de difundir a arte para as mulheres, aproximando o aikidô do público feminino”, finalizou o sensei.

Voltar