fbpx
Opinião

Agonia sem fim

Que ano complicado para o São Paulo!

Eliminado na pré-Libertadores para o desconhecido Talleres, da Argentina; derrotado na final do Campeonato Paulista para o Corinthians; e na última semana, foi despachado pelo Bahia na Copa do Brasil. Para exemplificar ainda mais essa agonia sem fim: em 2019, são apenas nove vitórias em 30 partidas. De quebra, em Salvador, o time completou quatro partidas sem balançar as redes. É muito pouco para o gigante tricolor.

Além do vexame dentro das quatro linhas, a diretoria não fala a mesma língua, não acerta nas contratações, já trocou três vezes o comando técnico na temporada e, assim, o time não ganha padrão tático. A cereja do bolo foi a ida do diretor Raí para a França na semana do clássico contra o Corinthians, em Itaquera (onde nunca ganhou), e ainda aparecer em foto assistindo tranquilamente um jogo de tênis em Roland Garros. É a crise instalada.

A queda para o Bahia na Copa do Brasil – competição, aliás, que o clube nunca ganhou – terá consequências. A torcida está irritadíssima e exige a conquista do Campeonato Brasileiro, o único torneio que sobrou neste ano. A arquibancada, aliás, elegeu seus vilões após a queda na Copa do Brasil: Arboleda, Reinaldo, Pato (já?) e até o ídolo Hernanes. De fato, não estão jogando nada. As uniformizadas prometem cobrar de perto o elenco tricolor a partir de agora. Enfim, os próximos dias serão sombrios no Morumbi.

Cuca precisa dar uma resposta e urgente. Afinal, esses resultados não condizem com a história de glórias do tricampeão mundial.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar