fbpx
Opinião

Aconteça o que acontecer

*Capa: Mauricio Bento/Líder Esportes

Escrevo às vésperas de XV de Piracicaba e Inter de Limeira decidirem quem jogará a Série A1 do Campeonato Paulista, em 2020, porque não quero contaminar a mensagem do texto pelo resultado de amanhã (20), no Barão da Serra Negra. Soaria oportunismo. O futebol é incerto, verdade, mas aconteça o que acontecer sábado, a avaliação que faço é que o clube piracicabano fez ótimo trabalho no primeiro semestre de 2019. Imponderável à parte, não vejo qualquer erro agudo.

É bem diferente do que foi ano passado, quando o XV também chegou ao segundo jogo da semifinal em cenário parecido contra o Guarani, com a diferença de que a decisão pelo acesso foi em Campinas. Em 2018, o caminho foi percorrido aos trancos e barrancos, com jogos desastrosos no início, papelão do volante Guly que depois foi embora, flerte com o rebaixamento e conversa com o dedo em riste entre torcedores e o técnico Evaristo Piza, em Taubaté. A equipe reagiu, superou-se e foi muito além do esperado, quando ninguém mais esperava alguma coisa.

A história agora é outra. Após as eleições, a nova diretoria teve pouco tempo para contratar, mas contratou bem, montou um elenco que não é brilhante, mas é consistente. O XV de Piracicaba trouxe um bom treinador e o nome de Tarcísio Pugliese foi coerente com o projeto que os diretores pregavam antes mesmo de contratá-lo. O clube, aliás, esquivou-se muito bem de problemas que surgiram pelo caminho, como a proposta do São Bento para o técnico, o caso de polícia envolvendo o lateral Jéfferson Feijão ou ainda a ‘farra’ divulgada em um prédio na cidade. O XV agiu bem quase sempre que precisou.

No campo, o começo foi empolgante, veio a oscilação, e mais tarde quatro vitórias consecutivas e a classificação com quatro rodadas de antecedência. Mas, quando o treinador rodou o elenco, foram quatro partidas seguidas sem vencer e a pior fase na A2. Nas quartas de final, a diretoria acertou mais uma vez: reforçou o ataque com Raphael Macena, personagem decisivo para eliminar o Juventus. O XV, independente do que ocorra, fez o que poderia para subir. Meu palpite é que o XV vencerá a Inter de Limeira. E, quem sabe, com um gol de Misael, o que seria um prêmio à marca registrada do camisa 10 e do time: a consistência.

Leonardo Moniz é editor de conteúdo do LÍDER

Voltar