fbpx
Opinião

A base que funciona

*Capa: Cesar Greco/SE Palmeiras

Tradicionalmente, o Palmeiras sempre foi um clube comprador, não revelador. A maioria dos craques de sua história foi de atletas que vieram para o Palestra Itália como jogadores formados, depois de se destacarem em outras equipes. Mas o Palmeiras de Luxemburgo, versão 2020, quebra essa tradição com uma safra muito boa de joias vindas das categorias de base. Gabriel Menino, Patrick de Paula e Gabriel Verón são as maiores apostas das ‘Crias da Academia’. O trio, inclusive, já sofreu várias investidas de clubes do exterior, como Manchester City, Benfica e Barcelona. Mas também outros jogadores vêm ganhando destaque no time principal, casos do volante Danilo e dos atacantes Gabriel Silva e Wesley.

A mudança de postura do Palmeiras tem muito a ver com o ótimo trabalho realizado nos últimos anos. Só para se ter uma ideia dessa excelência nas categoria de base, basta constatar que o Alviverde levantou nada menos que 73 títulos em suas bases entre 2017 e 2020, do sub-11 ao sub-20, em competições nacionais e internacionais. É muita coisa para tão pouco tempo!

Foram títulos do Paulista, do Brasileiro, da Copa RS e da Copa do Brasil, entre outros. Mas o destaque maior vai para a conquista do Mundial Sub-17 diante do Real Madrid, em 2018, quando Verón foi consagrado como artilheiro e melhor jogador da competição. No ano seguinte, a joia alviverde se consolidou com o Mundial Sub-17 com a seleção brasileira, quando também foi eleito o melhor do mundo em sua categoria. Nessa constelação de títulos faltou somente a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Mas essa é uma outra história.

O respaldo que Luxemburgo vem dando também conta. Com um técnico vencedor ao lado, os garotos se sentem mais à vontade para mostrar o bom futebol. Após Patrick de Paula se destacar na final do Paulistão, diante do Corinthians, quando marcou o último gol na disputa por pênaltis, nesta quarta-feira (16) foi a vez de Menino brilhar. Em jogo pela Libertadores, na altitude de La Paz, o meia marcou um golaço quase do meio de campo na vitória por 2×1 diante do Bolívar. Uma pintura!

Diante de tudo isso, a verdade é uma só: as categorias de base são a salvação do futebol brasileiro. Esse fenômeno não é de hoje, mas diria que, mais do que nunca, o nosso esporte mais popular é dependente de suas revelações. Clubes como Vasco, Flamengo, Santos e São Paulo já fazem um trabalho maravilhoso nas categorias inferiores. Agora o Palmeiras. Isso sem contar os clubes do interior, que, com os caixas vazios, usam também suas revelações. Sem dúvidas, é o melhor caminho para o país em que brotam talentos para o futebol mundial.

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Voltar