Futebol

XV vira e vence, mas é eliminado do Brasileiro

Alvinegro perdia por 3x1, virou para 4x3, mas viu como Brusque fez seu papel

São Paulo-RS 3x4 XV de Piracicaba - Série D
O gol do zagueiro Rodrigo, desta vez, de nada adiantou para o XV (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes)

O XV de Piracicaba conseguiu uma virada que poderia ter sido história neste domingo (25), contra o São Paulo-RS, pela última rodada da fase de grupos do Campeonato Brasileiro da Série D. Porém, o triunfo pelo placar de 4×3, após estar perdendo por 3×1, de nada adiantou: com um gol aos 44min do segundo tempo, o Brusque-SC venceu em casa o Operário-PR por 1×0 e garantiu a classificação. Eliminado, o Alvinegro, que encerrou a participação com nove pontos e em terceiro lugar no Grupo 15, volta a disputar a Copa Paulista, quando tentará defender o título para retornar ao cenário nacional.

Rodrigo fez o gol da vitória, mas triunfo não foi suficiente para alcançar a classificação

No sexto jogo em que comandou o XV, Márcio Fernandes escalou pela sexta vez uma equipe titular diferente. No Rio Grande do Sul, a novidade foi a estreia do meia Alex Willian, contratado para a Série D junto ao Mumbai FC, da Índia, e inscrito apenas na última rodada da primeira fase em virtude da abertura da janela de transferências internacionais. O XV estava obrigado a vencer o São Paulo e secar o Brusque, que enfrentou o Operário em Santa Catarina, para se classificar. O time gaúcho vivia situação mais complicada: além de uma vitória dos paranaenses, o São Paulo precisava tirar seis gols de saldo para avançar ao mata-mata.

A obrigação de vencer para os dois lados fez com que o primeiro tempo fosse aberto. O XV teve o controle da posse de bola nos dez minutos iniciais, mas foi o adversário que chegou com perigo aos 11min, quando o volante Cleylton aproveitou o lance individual do lateral Anderson Feijão e cabeceou com perigo. O duelo esquentou depois de meia hora de bola rolando. Aos 34min, o São Paulo abriu o placar com uma genialidade de Rafael Pilões. O lateral Gustavo avançou pela esquerda e encontrou dentro da área o atacante, que emendou uma bicicleta indefensável para Mateus Pasinato: 1×0.

O XV não se abalou com o gol e encontrou o empate oito minutos mais tarde, quando Washington Tito invadiu a área e foi derrubado pelo zagueiro Lacerda. O lance gerou bastante reclamação no lado gaúcho. “Em pleno 2017, é triste futebol desta maneira, manipulado”, disparou o técnico Márcio Nunes no intervalo. O camisa 9 Frontini, que não tinha nada a ver com a história, cobrou bem e colocou a bola no ângulo direito de Deivity: 1×1. O resultado poderia ter sido ainda melhor para o Alvinegro antes de descer para os vestiários, mas a bola chutada por Romarinho aos 47min parou na trave. Em Brusque (SC), o jogo entre Brusque e Operário chegou ao intervalo sem gols.

No segundo tempo, o XV voltou com apetite e quase desempatou aos 3min: Frontini girou sobre a marcação de Vinicius Simon e levou perigo ao goleiro Deivity, que apenas observou a bola sair pela linha de fundo. Na sequência, Alex Willian carimbou o travessão. A equipe de Rio Grande demorou 18 minutos para chegar ao ataque, mas quando chegou, deixou em evidência o sistema defensivo alvinegro: cobrança de escanteio e Cleylton recolocou o São Paulo em vantagem: 2×1. O público ainda comemorava quando Rafael Pilões recuperou a bola, enfileirou a zaga e acertou o ângulo de Mateus Pasinato: 3×1.

REAÇÃO

Fim de jogo, certo? Errado. O XV encontrou forças para reagir quando estava quase praticamente eliminado. Aos 21min, Washington Tito aproveitou falha de Deivity e empurrou para a rede no rebote: 3×2. Cinco minutos depois, Tito apareceu novamente: após cobrança de escanteio, Frontini cabeceou, o goleiro defendeu parcialmente e, novamente no rebote, Washington Tito empatou: 3×3. O impossível virou realidade aos 31min: Zé Mateus cobrou falta, Deivity mais uma vez não segurou e o zagueiro Rodrigo completou de cabeça: 4×3. Naquela altura, com a vitória no Rio Grande do Sul e o empate em Brusque, o XV estava vivo na Série D.

Márcio Fernandes, então, começou a mexer no time: inicialmente, o técnico sacou Romarinho e colocou Bruninho em campo; depois, foi a vez de substituir Samuel para a entrada de Robston. O cenário estava claro: segurar o resultado e secar o Brusque. No Rio Grande do Sul, deu certo e o XV venceu pelo placar de 4×3. Mas, em Santa Catarina, o atacante Careca mudou o rumo da história aos 44min do segundo tempo, ao marcar de cabeça o gol da vitória do Brusque sobre o Operário pelo placar mínimo. O XV encerrou a participação em terceiro lugar no Grupo 15, com nove pontos, eliminado do Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO SPORT CLUB

3  SÃO PAULO-RS

Deivity; Anderson Feijão, Lacerda, Cleylton e Gustavo; Roberto, Julio Abu (Flávio), Fred Saraiva e Leomir (Rafinha); Rafael Pilões e HenriqueTécnico: Márcio Nunes

Esporte Clube XV de Piracicaba

4  XV DE PIRACICABA

Mateus Pasinato; Zé Mateus, Vinícius Simon, Rodrigo e Samuel (Robston); Bruno Formigoni, Gilsinho e Alex Willian; Romarinho (Bruninho), Washington Tito e Frontini. Técnico: Márcio Fernandes

Gols: Rafael Pilões (SPA) aos 34min e Frontini (XV) aos 42min/1ºT; Cleylton (SPA) aos 18min, Rafael Pilões (SPA) aos 19min, Washington Tito (XV) aos 21min e 25min, Rodrigo (XV) aos 31min/2ºT | Árbitro: Tiago Nascimento dos Santos| Cartões amarelos: Cleylton e Lacerda (SPA); Romarinho (XV)

Início