Futebol

XV e CAV maltratam a bola em empate sem gols

Resultado deixa as duas equipes ameaçadas de rebaixamento para a terceirona

Doni, zagueiro do XV de Piracicaba
O zagueiro Doni lamenta o empate: resultado ruim para o XV (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes/Orientec)

XV de Piracicaba e Votuporanguense maltrataram a bola nesta sexta-feira (7) no estádio Barão da Serra Negra e empataram sem gols na abertura da 16ª rodada da Série A2 do Campeonato Paulista. A partida foi ruim e não teve nenhuma chance de gol. O resultado foi negativo para as duas equipes, que agora aguardam o desfecho da rodada deste fim de semana e secam os adversários para não entrar na zona de rebaixamento. Com 19 pontos e apenas três vitórias, o XV ocupa provisoriamente o 13º lugar, mas pode ser ultrapassado por Barretos, Oeste e Velo Clube. Na próxima quarta-feira (12), o Alvinegro viaja para Batatais enfrentar a equipe local.

Na próxima rodada, o XV enfrenta o Batatais, que briga pela classificação, fora de casa

Diferente do que havia dito na véspera, quando afirmou que iria repetir a escalação, o técnico Vica teve duas e não apenas uma mudança no time titular. Além de Gilsinho, suspenso e substituído pelo meia Dodô, o treinador não pôde contar com o atacante Romarinho, artilheiro da equipe com seis gols. A informação do clube é que o jogador está com caxumba e não tem previsão de volta. No lugar de Romarinho, Vica apostou em Samoel Pizzi. O ataque ainda contou com Rafael Gomes e Bruninho, enquanto Bruno Santos, recuperado de lesão, não ficou sequer no banco de suplentes.

O jogo começou com o XV tentando girar a bola com paciência e atacando pelas laterais, enquanto o adversário arriscava finalizações de longa distância, mas sem qualquer direção. Não demorou para a partida ficar travada no meio de campo. Dodô desapareceu, Bruninho e Samoel Pizzi corriam de cabeça baixa e Rafael Gomes, isolado, dificilmente segurava a bola no ataque. Não faltava vontade, mas de criatividade pouco se viu no estádio Barão da Serra Negra. Nos primeiros 20 minutos de bola rolando, nenhuma chance de gol foi criada.

Aos 31min, um lance inusitado resumiu o que aconteceu em campo na primeira meia hora: após duas divididas, Samuel avançou pela esquerda, levantou a bola para a área e dois defensores do Votuporanguense se atrapalharam sozinhos. A bola ficou viva e quando Vitor Prada saiu para defender, o zagueiro Marcelo Godri quase fez contra ao tentar afastar: o chute saiu pela culatra e estufou o peito do goleiro. Do outro lado, Mateus Pasinato foi mero expectador durante 36min, quando Roberto Cavalo o testou em belo arremate, defendido com segurança pelo goleiro.

Dois minutos depois, a equipe de Votuporanga chegou ao ataque novamente. O zagueiro Rodrigo deu bobeira ao sair jogando e a bola caiu nos pés de Paulo Josué, que fez lançamento em profundidade para Uálisson Pikachu. Mateus Pasinato saiu do gol e o atacante tocou por cima do camisa 1. A bola entraria, mas o zagueiro Doni acompanhava o lance e chegou a tempo para salvar o Nhô Quim. Apesar do primeiro tempo ruim, os dois técnicos decidiram não mexer no intervalo.

REPETECO

A etapa complementar começou mais acelerada, mas sem qualquer lampejo de criatividade. A cena se repetiu: o XV errava os passes que tentava trocar; o Votuporanguense chutava para o gol de qualquer jeito. Com dez minutos no relógio, o público que acompanhava a partida nas cativas pedia para o treinador Vica mudar o time. O pedido foi atendido cinco minutos mais tarde: Dodô saiu para a entrada do lateral-direito Carlinhos. Com a substituição, Zé Mateus foi deslocado para o meio-campo.

Aos 22min, o CAV chegou com algum perigo. O goleiro Vitor Prada cobrou tiro de meta, Anderson Cavalo desviou de cabeça e a bola sobrou para Uálisson Pikachu fuzilar pelo alto, mas para fora do gol. Impaciente, Vica mudou duas peças de uma vez só: Samoel Pizzi e Rafael Gomes foram sacados para as entradas de Celsinho e Carlos Alberto. O centroavante contratado junto ao Sampaio Corrêa-MA teve pela primeira vez a chance de atuar mais de cinco minutos – contra Bragantino e Oeste, ele jogou apenas os acréscimos. Com o placar indefinido, os dez minutos finais deveriam ser de suspense, mas nenhum dos dois lados foi capaz nem mesmo de ameaçar o rival. A permanência na Série A2 é lucro para XV de Piracicaba e Votuporanguense.

FICHA TÉCNICA

Esporte Clube XV de Piracicaba

0  XV DE PIRACICABA

Mateus Pasinato; Zé Mateus, Doni, Rodrigo e Samuel; Clayton, Gilson e Dodô (Carlinhos); Samoel Pizzi (Celsinho), Bruninho e Rafael Gomes (Carlos Alberto). Técnico: Vica

0  VOTUPORANGUENSE

Vitor Prada; Pacheco, Marcelo Godri, Willyan e Felipe Gregory; Kléber, Douglas, Xaves (Arthur) e Paulo Josué; Anderson Cavalo (Anderson Magrão) e Uálisson Pikachu (Thiago Miracema). Técnico: Gilberto Pereira

Árbitro: Alessandro Darcie | Cartões amarelos: Samuel (XV); Pacheco, Willyan, Vitor Prada, Kléber e Anderson Cavalo (VOT) | Público: 1.911 pagantes | Renda: R$ 22.860,00

Início