Futebol

Torcida recolhe 100 assinaturas e pede renúncia

Novas manifestações serão realizadas neste sábado, no período da manhã

Torcida XV de Piracicaba
O rebaixamento para a Série A2 revoltou a torcida alvinegra (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes)

Aproximadamente 100 sócios do XV de Piracicaba já aderiram ao abaixo-assinado que visa a destituição do presidente do clube, Rodrigo Boaventura, e do vice-presidente e diretor de futebol, Renato Bonfíglio. As manifestações devem continuar neste sábado (23), às 9h, quando as categorias sub-15 e sub-17 jogam contra o Amparo pelo Campeonato Paulista – segundo os organizadores do protesto, a torcida irá apoiar a base e se manifestará contra a diretoria com faixas. “A ideia é conscientizar os torcedores sobre aquilo que exigimos de forma pacífica e apoiando os jogadores da base, que são o futuro do clube”, disse o torcedor Mario Henrico Rodrigues.

A expectativa é atingir cerca de 250 assinaturas e formalizar o pedido de destituição junto a assembleia de associados – o clube tem hoje pouco mais de 600 sócios adimplentes. A ação programada para sábado será a segunda após o rebaixamento para a Série A2. Na primeira, 50 torcedores se manifestaram em frente ao Barão da Serra Negra com cartazes, instrumentos e rojões pedindo a renúncia dos cartolas – na ocasião, nenhum funcionário do clube estava no estádio municipal quando os protestos aconteceram.

CONSELHO

O presidente do Conselho Deliberativo, Jonas Parisotto, comentou sobre a possibilidade de remoção da diretoria. O advogado diz ainda que procurou Boaventura para sugerir a renúncia. “O que existe é a assembléia de associados, a qual eu presido, que é diferente do Conselho Deliberativo. Quem tem poder de destituir a diretoria é a assembleia de associados. Caso os associados se reúnam em grupo e entrem com pedido, temos que apreciá-lo. Eles (associados) precisam de um pedido, apontando quais falhas existiram para que o pedido seja bem fundamentado”, explicou.

Parisotto esclareceu ainda qual seria o rumo do clube, caso os torcedores consigam a saída da diretoria. “Ocorrendo a renúncia, tanto do presidente quanto do vice, quem recebe é o presidente do Conselho Deliberativo. Nós seguiremos o que diz o estatuto. Faltando mais de 60 dias para o término do mandato do presidente e do vice, se eles se retirarem da administração, nós convocaremos uma reunião para eleger novos membros. Enquanto a eleição não ocorre, ficam no cargo o presidente e o vice-presidente do Conselho Deliberativo”. Hoje, o conselho tem como mandatário Jonas Parisotto e, na condição de vice, José Antonio do Amaral Caprânico.

Início