Futebol

Torcida organiza protesto e pede saída de cartolas

Associados podem entrar com pedido para destituir diretoria executiva do clube

Jonas Parisotto é o presidente do Conselho Deliberativo do XV de Piracicaba
Jonas Parisotto é presidente do Conselho Deliberativo do XV de Piracicaba (Foto: Arquivo Pessoal)

A torcida do XV de Piracicaba está revoltada com a queda para a Série A2 do Campeonato Paulista. Nesta quinta-feira (14), os torcedores organizam protesto contra a diretoria, às 18h30, em frente ao estádio Barão da Serra Negra. A manifestação é pela saída de Rodrigo Boaventura, presidente do clube, e Renato Bonfíglio, vice-presidente e diretor de futebol. Mais de 120 torcedores confirmaram presença nas redes sociais.

Mário Henrico Rodrigues, torcedor que contribui para a organização do protesto, garante que a ação tem caráter pacífico. “Não será tolerada […] violência. Somos torcedores e não vândalos”, escreveu. Rodrigues diz que a ideia surgiu após o empate por 1×1 contra o Oeste, em Itápolis, resultado que derrubou o time piracicabano para a Série A2. “O descontentamento não é de hoje, mas desde o ano passado. A diretoria não parece se mexer a respeito de mudanças no clube. As mesmas pessoas cometem os mesmos erros. Em 2016 tem eleição e resolvemos mostrar a indignação, convocando todos que estão descontentes. Queremos que Rodrigo Boaventura e Renato Bonfiglio renunciem”, afirmou o torcedor.

DESTITUIÇÃO

A reportagem entrou em contato com o presidente do Conselho Deliberativo, o advogado Jonas Parisotto, que comentou sobre a possibilidade de remoção da diretoria. “Existe a assembléia de associados, a qual eu presido, que é diferente do Conselho Deliberativo. Quem tem poder de destituir a diretoria é a assembleia de associados. Caso os associados se reúnam em grupo e entrem com pedido, temos que apreciá-lo. Eles (associados) precisam de um pedido, apontando quais falhas existiram para que o pedido seja bem fundamentado”, explicou.

Parisotto esclareceu ainda qual seria o rumo do clube, caso os torcedores consigam a saída da diretoria. “Ocorrendo a renúncia, tanto do presidente quanto do vice, quem recebe a renúncia é o presidente do Conselho Deliberativo. Nós seguiremos o que diz o estatuto. Faltando mais de 60 dias para o término do mandato do presidente e do vice, se eles se retirarem da administração, nós convocaremos uma reunião para eleger novos membros. Enquanto a eleição não ocorre, ficam no cargo o presidente e o vice-presidente do Conselho Deliberativo”. Hoje, o conselho tem como mandatário Jonas Parisotto e, na condição de vice, José Antonio do Amaral Caprânico.

Início