Futebol

Torcida exige saída de Boaventura e Bonfíglio

Mais de 50 torcedores foram ao evento em frente ao Barão da Serra Negra

Renato Bonfíglio, diretor de futebol e vice-presidente do XV de Piracicaba
Os protestos foram contra Rodrigo Boaventura e Renato Bonfíglio, presidente e vice (Foto: Líder Esportes)

Mais de 50 torcedores do XV de Piracicaba participaram no início da noite desta quinta-feira (14) de um protesto contra a diretoria do clube. A manifestação foi realizada em frente ao Barão da Serra Negra e tinha como alvos o presidente Rodrigo Boaventura e o vice e diretor de futebol, Renato Bonfíglio – a torcida pede a renúncia e enxerga os cartolas como principais responsáveis pelo rebaixamento do time piracicabano para a Série A2 do Campeonato Paulista.

A manifestação desta quinta-feira foi a primeira de uma série de protestos que os torcedores do XV devem realizar

O movimento, acompanhado pela Polícia Militar, durou cerca de 40 minutos e foi pacífico. Os torcedores entoaram gritos contra os diretores, soltaram rojões e levaram cartazes de repúdio ao trabalho feito pela cúpula do clube -nenhum dirigente estava no estádio municipal durante os manifestos. “A ideia é mostrar toda a revolta da torcida. Faz anos que o XV é amador no futebol, aliás, não lembro quando foi profissional da última vez. Melhorou muito na gestão administrativa, marketing. Porque não fazer o mesmo com o futebol? Não adianta dizer que as contas estão em dia. Isso é obrigação. Faz mais de uma década que o cara (Renato Bonfíglio) está no clube. Queremos alguém profissional e experiente”, disse o torcedor Bruno de Luca.

De acordo com Mário Henrico Rodrigues, o protesto começou a ser idealizado no caminho de volta de Itápolis – Oeste e XV empataram por 1×1 na última rodada do Paulistão. Ele segue a linha que defende a profissionalização do departamento de futebol. “A saída deles (Boaventura e Bonfíglio) é o caminho. O XV vem mal há três campeonatos e agora caiu. Estamos na Série A2, ainda não é o fundo do poço para quem já viveu Série A3 beirando a quarta divisão, mas com o clube nas mãos de quem está hoje, isso é bem possível de acontecer. A gente exige a saída deles, seja por renúncia ou assembléia de sócios. Tem que mudar a mentalidade”, afirmou.

A entrevista concedida por Boaventura no dia 31 de março, antes do penúltimo jogo, contra o Linense, também foi alvo de críticas da torcida. O torcedor Felipe Gema comparou as declarações do presidente do XV ao discurso de Gerson Garcia, mandatário do Botafogo, que na mesma época convocou uma coletiva e afirmou que a equipe de Ribeirão Preto ‘não cairia’. “Há dois anos, nós vínhamos aqui em 15 pessoas reivindicando as mesmas coisas. São quatro anos montando equipes em decadência. Pagar em dia é essencial, mas não pode deixar o futebol de lado. A gente tem como exemplo o Botafogo, que antecipou cotas, conseguiu subir no Brasileiro e se manteve no Paulistão”, disse Gema.

Torcida XV de Piracicaba

“A postura lá (em Ribeirão Preto) foi diferente. Nos sentimos ofendidos, ninguém bateu na mesa e falou ‘Não vamos cair’. Desde o momento em que o XV começou a ir para o buraco, o discurso aqui foi de ‘Se cair, que caia em 15º ou 16º’. Faltou paixão pelo clube. Não pode aceitar isso. É o primeiro protesto apenas. Não aceitamos o rebaixamento e vamos continuar protestando. Os sócios vão fazer um abaixo assinado para tentar destituir a presidência. Acreditamos em reunir 250, 300 assinaturas dos sócios e levar isso para o Conselho Deliberativo. A culpa é 100% da diretoria, faltou pulso firme com os jogadores também”, completou.

O XV de Piracicaba caiu para a Série A2 cinco anos depois de voltar à elite do futebol estadual. Em 2016, a equipe terminou o Paulistão em 17º lugar na classificação geral com 15 pontos ganhos – foram três vitórias, seis empates e seis derrotas em 15 partidas disputadas. Além da queda, o clube perdeu o direito de receber cotas de televisão na próxima temporada – a FPF (Federação Paulista de Futebol) destinará a verba, em torno de R$ 2,2 milhões, para o 15º e 16º colocados deste ano, mesmo com o rebaixamento para a divisão de acesso em 2017.

Início