Opinião

Será que dá?

Foto: Antonio Trivelin/Gazeta de Piracicaba

Eis a pergunta que o torcedor quinzista mais me faz. A resposta é sempre a mesma: “O coração diz que sim, mas a razão…”. É inegável que a situação ficou muito complicada. A partir do momento em que você não depende de suas próprias forças para conseguir um objetivo, ‘a coisa’ se torna difícil. Porém, no mundo do futebol, muitas vezes o improvável ocorre.

Em 2012, por exemplo, o cenário era bastante parecido. Mesmo assim, o Alvinegro conseguiu escapar. Apesar de depender de outros rivais, o grande problema nessa ‘guerra’ para permanecer na elite é o próprio XV de Piracicaba. Como acreditar em um time com aproveitamento pífio, futebol impotente do ponto de vista ofensivo e até da falta de comprometimento, desejo e vontade de alguns atletas?

A demissão de Narciso era inevitável e, a meu ver, deveria ter acontecido antes. As duas ‘grandes’ e principais vitórias da equipe até aqui – Ponte Preta e São Bernardo – mascararam uma situação que se tornou notória nos últimos jogos: a teimosia do treinador, primeiro ao manter um jogador extremamente questionado, depois por alterar a equipe muitas vezes de forma equivocada e, finalmente, a insistência em esquemas de jogo que não deram certo.

A chegada de Ferreirão, por si só, pode ser positiva, principalmente do ponto de vista emocional. A experiência no estilo ‘paizão’ pode contagiar o elenco para a decisão em Itápolis. Claro que não podemos esperar absolutamente nada em termos de evolução tática, técnica e etc., mas, vontade, creio que não faltará. Ainda dá? Claro que sim! E acima de tudo é preciso acreditar, apesar da razão nos encaminhar para o sentido contrário.

Leandro Bollis é jornalista, narrador da Rádio 105FM há cinco anos e comentarista do programa Século 21 Esporte na Rede Século 21.

Início