Opinião

Será que dá?

*Capa: Grêmio/Divulgação

A torcida do Grêmio diz que sim. Afinal, os tricolores vivem o sonho do bicampeonato mundial desde quando conquistaram a América. Diante dos galáticos do Real Madrid, a esperança é que Cristiano Ronaldo tenha um dia ruim, enquanto o menino Luan gaste a bola. Sonhar não paga imposto. E já que chegou lá, não custa tentar. Em condições normais, fica muito complicado vencer o time espanhol. É uma verdadeira seleção mundial, pois praticamente todo o time vai à Copa da Rússia por suas respectivas nações.

O time-base tem nada menos que Navas; Carvajal, Varane, Sergio Ramos e Marcelo; Casemiro, Toni Kroos, Modric e Isco; Cristiano Ronaldo e Benzema (Bale). Mesmo o torcedor do Imortal há de concordar que é uma das maiores constelações já vistas no mundo do futebol em todos os tempos. Por isso, não podemos nos iludir com o duelo diante do Al Jazira, do brasileiro Romarinho. Apesar de penar para espantar a zebra do Oriente Médio, diante do Grêmio a história tem tudo para ser diferente. Contra uma equipe que sabe jogar, os merengues certamente entrarão mais concentrados.

Fica complicado dizer com quem o Tricolor deve se preocupar. Na minha opinião, o técnico Renato Gaúcho tem de acertar a marcação principalmente no trio Kroos, Modric e CR7. Esses jogam demais! E, de quebra, ainda não pode dar espaços pelas laterais, em especial na esquerda, com Marcelo. Além dessa forte marcação, que terá de ser perfeita para não deixar o adversário respirar, o Imortal com certeza deverá atuar explorando a velocidade de Luan e Fernandinho. É a chance para vencer a partida e o Mundial. A única, diria. É a mesma tática que fez diante do Lanús, na Argentina, na primeira partida das finais da Copa Libertadores.

Se o Grêmio levantar a taça será uma das maiores, senão a maior, conquista da equipe gaúcha em toda sua rica história centenária. Pelo contexto geral, sim. Os brasileiros são muito inferiores tecnicamente, por motivos óbvios, e fisicamente, pois vêm no final de temporada, enquanto o Real está no meio da temporada europeia. Com as cartas na mesa, agora nos resta acreditar!

Erivan Monteiro é jornalista e cronista esportivo

Início