Tênis de Mesa

Sensacional! CCP/APTM fecha evento em 4º lugar

Em casa, time piracicabano conquista dez medalhas na Copa Brasil Sul Sudeste

Thainá Gava, atleta de tênis de mesa do CCP/ATPM Piracicaba
Thainá Gava, atleta de tênis de mesa do CCP/ATPM: duas medalhas (Foto: Mauricio Bento/Líder Esportes)

O Clube de Campo de Piracicaba encerrou a primeira etapa da Copa Brasil Sul Sudeste com a quarta colocação geral, resultado considerado ‘espetacular’ pelos técnicos Fábio Lopes e Filipe Prando. Nos cinco dias de evento, encerrado neste domingo (12), a equipe do CCP/APTM/ETEC/Selam/Liceu conquistou dez medalhas – três de ouro, duas de prata e cinco de bronze. A competição nacional, organizada pela CBTM (Confederação Brasileira de Tênis de Mesa), reuniu ao todo 580 mesatenistas – 486 olímpicos e 94 paralímpicos, representantes de 70 clubes.

“Agradeço muito o empenho de todos os atletas, 70 equipes participaram e nós conquistamos a quarta colocação geral, o resultado foi espetacular”, afirmou Prando. “Foram cinco dias de jogos difíceis e de frio incomum em Piracicaba (risos), mas conseguimos chegar muito perto de todos os objetivos. Vencemos e perdemos, mas saímos com mais experiência e aprendizado. Vamos continuar treinando e acreditando em chegar cada vez mais longe”, completou o treinador piracicabano.

MEDALHAS

As três medalhas de ouro conquistadas pelo CCP/APTM, que em 2016 recebe subvenção da Lei Pelé por meio da CBC (Confederação Brasileira de Clubes), vieram nos ratings B, C e D feminino, com Marina Michelin, Isabela Cassemiro e Thainá Gava, respectivamente. Isabela Cassemiro também foi responsável pela prata na categoria juventude feminino – a segunda medalha de prata veio com Leonardo Roseiro, que foi vice-campeão na categoria rating N masculino.

Campeã no rating D, Thainá Gava também subiu ao pódio com a terceira colocação no torneio absoluto B. Ediane Bresciani conquistou duas medalhas de bronze: uma pela categoria juvenil, outra pelo rating C. No rating L masculino, Lucas Couto encerrou a participação em terceiro lugar. O quinto bronze da equipe veio na classe 6 paralímpica com Flávio Silveira. “Passei bem pela fase de grupos, mas infelizmente perdi nas semifinais. De qualquer forma, o resultado é positivo”, disse Silveira.

Início