Tiro com Arco

Sem patrocínio, Gibi é impedido de competir

Atleta piracicabano é convocado, mas não disputa seletiva para Mundial

Gibi Fernandes, atleta de tiro com arco de Piracicaba
Gibi é o principal nome do tiro com arco piracicabano, mas sofre para competir (Foto: Arquivo Pessoal)

Gibi Fernandes, comandante da equipe Arqueria Piracicaba/Selam, deveria estar em Goiânia para disputar uma vaga na etapa de Antalya, na Turquia, da Copa do Mundo de tiro com arco. Deveria, mas não está. Convocado pela CBTARCO (Confederação Brasileira de Tiro com Arco), ele não viajou pois está sem patrocinador e não pôde arcar com as despesas – segundo o arqueiro, o custo total da viagem gira em torno de R$ 1.500.

“Não viajei por falta de patrocínio. O sentimento de não poder participar de uma seletiva para um Mundial é muito triste. Vejo que, com o tanto de esforço e resultados que tivemos no ano passado, nós ainda não somos vistos nem reconhecidos em nossa cidade”, desabafou Gibi, que descarta qualquer hipótese de abrir mão do tiro com arco. “Vou continuar com todo o coração. Não deixarei de treinar e honrar o esporte e a cidade que represento com orgulho”, garantiu.

OPORTUNIDADE

Gibi ainda tem uma oportunidade de disputar a Copa do Mundo – o calendário reserva a seletiva de Belo Horizonte (MG), de 16 a 17 de julho. Na etapa anterior, o arqueiro piracicabano ficou em 16º lugar na seletiva realizada na Vila Olímpica Mário Covas, em São Paulo, e não conseguiu a vaga. Na ocasião, Gibi representou o Círculo Militar de Campinas no torneio. O atleta fez a preparação com Marcos Bortoloto, campeão sul-americano e aspirante a uma vaga para as Olimpíadas.

Início